EUA prendem bilionário dono de corretora por golpe com criptomoedas

Related articles

O Departamento de Justiça americano informou sobre a prisão do chinês Ho Wan Kwok nesta quarta-feira (15). Dentre as diversas acusações, Kwok é acusado um golpe de US$ 262 milhões (R$ 1,38 bilhão) com criptomoedas.

Além de Kwok, também conhecido por Miles Guo, as autoridades também estão processando Kin Ming Je, tido como financiador do esquema.

Somadas as penas máximas das 12 acusações, Je pode pegar até 215 anos de prisão. Já a pena de Kwok, com 11 acusações, chega a 205 anos.

Golpe de bilhão com oferta de criptomoeda

Em suma, o governo americano afirma que Ho Wan Kwok e Kin Ming Je usaram sua própria corretora, a Himalaya Exchange, para ofertar a compra de duas criptomoedas. Uma delas seria a Himalaya Dollar (“HDO” ou “H Dollar”), já a segunda se chamava Himalaya Coin (“HCN” ou “H Coin”).

No esquema, a dupla teria arrecadado US$ 262 milhões (R$ 1,38 bilhão) ilegalmente. Seguindo, o Departamento de Justiça revelou trechos de vídeos que estão sendo usados como provas nas acusações.

“Se alguém perder dinheiro, posso dizer que vou compensar 100%. Eu te dou 100%. Quem perder dinheiro, eu o suportarei.”

A denúncia aponta que tal criptomoeda valorizou de US$ 0,10 para quase R$ 27, uma valorização de 26.900% em apenas duas semanas. Em valor de mercado, a HCN seria a sexta maior criptomoeda do mercado.

No entanto, conforme tal moeda só era negociada dentro desta suposta corretora de seus próprios criadores, é difícil acreditar que esta alta fosse real. O caso lembra bastante a pirâmide da BitConnect, que também inflou o preço de sua moeda dentro de sua própria plataforma.

Finalizando, o DoJ aponta que um dos acusados afirmou ter comprado uma Ferrari, de € 3,5 milhões (R$ 19,5 milhões), usando sua própria criptomoeda, a HDO. No entanto, tal compra teria sido uma estratégia de marketing para atrair mais vítimas para o esquema.

Polícia aprende bens dos golpistas

Por fim, o Departamento de Justiça também anunciou a apreensão de US$ 634 milhões (R$ 3,33 bilhões) de 21 contas bancárias diferentes. Indo além, carros de luxo como uma Lamborghini Aventador.

Indo além, o comunicado também cita uma mansão de 4.600 m², um iate de US$ 37 milhões (R$ 195 mi) e até mesmo dois colchões de US$ 36.000 (R$ 190.000).

Bens apreendidos pelos EUA. Fonte: DoJ/Reprodução.

 



Fonte