Blockchain da Coinbase é vista como ‘voto de confiança massivo’ para Ethereum

A comunidade da Ethereum manifestou uma visão otimista acerca da recém-anunciada rede de camada 2 da exchange de criptomoedas Coinbase. A Base foi descrita como um “voto de confiança massivo” e um “divisor de águas” para a rede blockchain.

Protegida pela Ethereum e suportada pela rede de camada 2 Optimism (OP), a Base visa eventualmente se tornar uma rede para a construção de aplicativos descentralizados (DApps). A rede da camada 2 está atualmente em sua fase de testes, de acordo com o CEO da Coinbase, Brian Armstrong.

0/ Olá, mundo.

Conheça a Base, uma Ethereum L2 que oferece uma maneira segura, de baixo custo e amigável aos desenvolvedor para que qualquer pessoa, em qualquer lugar, crie aplicativos descentralizados.

Nosso objetivo com a Base é tornar o onchain o próximo on-line e integrar mais de 1 bilhão de usuários na criptoeconomia.

— Base (@BuildOnBase)

Membros da comunidade da Ethereum, como Ryan Sean Adams, apresentador do podcast Bankless Show, acreditam que a mudança “é um grande voto de confiança para a Ethereum”, que pode abrir um precedente para empresas de criptomoedas e instituições financeiras usarem a rede líder de contratos inteligentes como a camada a sua camada de liquidação preferencial.

2/ Isso estabelece um precedente que outras empresas de criptomoedas seguirão, depois as Fintechs e depois os bancos. Eventualmente, o mundo usará a Ethereum como um sistema de liquidação e de registro de direitos de propriedade.

— RYAN SEAN ADAMS – rsa.eth (@RyanSAdams)

A Coinbase tem aproximadamente 110 milhões de usuários verificados e fechou parcerias com 245.000 empresas em mais de 100 países desde que foi fundada em 2012. A exchange de criptomoedas é a segunda maior em termos de volume de negociação, atrás apenas da Binance atualmente, de acordo com a CoinGecko.

“Se a Coinbase converter 20% de seus 110 milhões de usuários verificados em usuários de Camada 2 nos próximos anos, isso por si só irá multiplicar em 10x o número total de usuários nativos de criptomoedas”, acrescentou Adams.

Adam também elogiou a Coinbase por optar por uma solução de código aberto para implementação da Base. Ele também acredita que a nova rede de camada 2 trará ainda mais demanda por espaço de bloco na Ethereum.

A Coinbase acaba de anunciar que está lançando uma rede de camada 2 na Ethereum, suportada pela Optimism, chamada Base.

A Ethereum está se tornando a camada de liquidação do mundo.

— sassal.eth (@sassal0x)

Enquanto isso, Sebastien Guillemot, cofundador da empresa de infraestrutura dcSpark, sugeriu que a Coinbase tomou uma decisão sábia ao optar por uma solução de camada 2 em oposição a uma sidechain independente, observando que “quase todas” as transações de criptomoedas e o valor bloqueado na Ethereum residem nas redes de camada 2 nos dias de hoje.

Coinbase anunciou a Base, uma nova L2 (baseado na Optimism L2)

L2s continuam a dominar a indústria

– Quase todos os txs em criptografia estão em L2s
– Quase todo o TVL em cripto está em L2s
– Há mais desenvolvedores trabalhando em L2s do que basicamente em todas as L1

Sidechains (que não são L2s) são uma perda de tempo

— Sebastien Guillemot (@SebastienGllmt)

Ryan Watkins, cofundador do fundo de hedge focado em criptomoedas Syncracy Capital, descreveu a notícia em uma postagem no Twitter em 23 de fevereiro como um “divisor de águas” no ecossistema de rollups da Ethereum. Ele acrescentou que “provavelmente ninguém está melhor” posicionado do que a Coinbase para integrar os próximos 10 milhões de usuários e instituições à Ethereum.

Nem todo mundo estava otimista, entretanto.

Gabriel Shapiro, conselheiro geral da empresa de investimentos Delphi Labs, explicou em uma postagem no Twitter em, 23 de fevereiro que o lançamento de uma rede de camada 2 centralizada “abre a porta” para o escrutínio indesejado da SEC.

“Uma L2 centralizada que negocia muitos tokens, muitos dos quais podem ser supostamente considerados valores mobiliários, ou faz muitas transações DeFi que podem ser alegadamente regulamentadas (swaps de valores mobiliários, etc.), abre a porta para a SEC fazer novos tipos de reivindicações no mercado secundário”, escreveu Shapiro, acrescentando:

“Na minha opinião, isso vai acelerar a agenda de “mercado secundário” da SEC em relação a questões de valores mobiliários em blockchains, porque eles não podem deixar um registrador da SEC “sair impune” de possíveis violações, construindo uma estratégia de arbitragem legal bem debaixo do nariz da SEC.”

As preocupações de Shapiro foram motivadas pelo fato de a SEC ter incrementado seus esforços de fiscalização contra vários emissores de stablecoins e provedores de serviços de staking no começo deste ano.

Sobre o lançamento do Base, o advogado opinou que poderia ser um “passo ruim para eles” e infligir “danos colaterais” ao restante do ecossistema, principalmente no caso de a SEC encontrar vulnerabilidades a serem exploradas em benefício de sua política de repressão:

 

no geral, se de fato os motivos da Coinbase [para o lançamento da Base] são de natureza regulatória, não é apenas um mal passo, mas pode infligir danos colaterais perigosos ao resto do ecossistema

se seus motivos são regulatórios, eles deveriam ter esperado até que toda a infraestrutura pudesse ser realmente descentralizada

— _gabrielShapir0 (@lex_node)

 LEIA MAIS



Fonte

Related articles