WhatsApp Business proíbe venda de criptomoedas

Termos de Uso do WhatsApp proíbem a venda de criptomoedas no modo comercial

Related articles

Empresas que trabalham com o WhatsApp Business devem estar atentas as regras do aplicativo, entre as quais proíbe a venda de criptomoedas. A última atualização dos termos de uso da plataforma ocorreu em outubro de 2022.

As regras se aplicam a todas as empresas que ofertam Catálogos Comerciais ou negociam produtos com seus clientes. Tal situação mostra que o WhatsApp monitora os serviços ofertados, podendo excluir a conta de empresas que descumprem as medidas.

O WhatsApp informa ainda que não permite que sua aplicação comercial venda produtos e serviços ilegais, nem operações de permuta.

Entenda as regras do WhatsApp que proíbem a venda de criptomoedas

Todas as empresas que se cadastram no serviço do WhatsApp Business devem estar atentas aos termos de uso da plataforma.

Empresas que vendem bebidas alcoólicas, tabaco e até de criptomoedas, por exemplo, não podem ofertar seus produtos pelo serviço.

De acordo com apuração do Livecoins, as regras impedem a venda e a promoção de moedas falsas, virtuais e reais. Assim, caso uma conta comercial oferte uma venda de Real ou Bitcoin, pode ter sua conta cancelada no serviço.

No caso de bancos, por exemplo, a venda de cartões de crédito também segue proibida.

Termos de Uso do WhatsApp proíbem a venda de criptomoedas no modo comercial. Reprodução.

Ofertar pirâmide financeira pelo WhatsApp comercial pode levar empresas a registrar problemas

Outras regras impostas para o WhatsApp sobre as ofertas de empresas, envolvem a proibição de negócios que iludem as pessoas.

Entre as situações que podem levar uma empresa a perder sua conta estão as pirâmides financeiras, marketing multinível, créditos consignados, cobrança de dívidas e fiadores.

Regras proíbem a oferta de pirâmides financeiras via WhatsApp comercial
Regras proíbem a oferta de pirâmides financeiras via WhatsApp comercial. Reprodução.

Vale lembrar que golpes que circulam no WhatsApp costumam utilizar as contas comum do aplicativo, essas que não são afetadas pelos mesmos termos de uso.

Enquanto WhatsApp nega serviço, concorrentes aproveitam para dar suporte ao bitcoin

Com o fechamento das portas do WhatsApp para o mercado de criptomoedas em sua solução comercial, a oportunidade se abre para outras empresas.

Isso porque, vários aplicativos de mensagens instantâneas buscam oferecer um serviço concorrente ao WhatsApp, com melhores funções. Alguns até se alinham a proposta do bitcoin, como o Keet, lançado nos últimos dias em parceria com a corretora Bitfinex.

No entanto, vale lembrar que a base de usuários do WhatsApp ainda é a maior do mundo, com estimativas de que pelo menos 2 bilhões de pessoas utilizem o serviço. Assim, empresas pequenas que utilizam o serviço para ofertar soluções com criptomoedas devem tomar cuidados com as regras.



Fonte