Regulador de criptomoedas da Venezuela é suspeito de corrupção

Related articles

O ex-chefe responsável pela regulação das criptomoedas na Venezuela, na Sunacrip, está sendo acusado de causar a perda de 5 milhões de dólares ao seu país, por um caso de corrupção no governo de Nicolás Maduro. Por conta das suspeitas contra ele, Joselit Ramirez acabou sendo preso na última semana.

Devido ao problema do homem próximo a Nicolás Maduro, o próprio presidente venezuelano teve de agir rapidamente para conter uma crise no governo.

Na última sexta-feira (17), por exemplo, a Gaceta Oficial anunciou uma reestruturação da Sunacrip, nomeando um novo chefe para o cargo de chefe do órgão regulador. Além disso, a divisão de regulação contará com 4 diretores principais com a mesma quantidade de suplentes.

Ao que tudo indica, o problema pode ser muito ruim para a Venezuela, que sofre com embargos impostos pelos EUA no comércio mundial, recorrendo às criptomoedas nos últimos anos para driblar o problema.

Especialista disse que falta de registro de venda de petróleo por chefe regulador das criptomoedas na Venezuela causa mal-estar no governo de Maduro

Segundo um especialista que conversou com o site Alberto News, o governo da Venezuela fez o certo ao buscar as criptomoedas para continuar vendendo seu petróleo pelo mundo.

Além disso, o país comercializa desde 2021 o coque do petróleo, lucrando ainda mais e movimentando mais dinheiro do que em anos anteriores. Assolada pela alta inflação monetária, a situação da Venezuela piorou com o embargo imposto pelos EUA.

Assim, o novo caso de corrupção de Joselit Ramirez pode ter colocado pressão na divisão de criptomoedas do próprio governo. O problema detectado ocorreu no final de 2022, quando o governo revisava as contas de vendas de petróleo e percebeu um rombo contábil nas criptomoedas recebidas.

As acusações contra o suspeito indicam que ele lavou dinheiro ilegalmente, além de desviar valores do governo de Maduro.

Homem na lista de mais procurados pelos EUA

Em junho de 2020, os Estados Unidos colocaram o criador da criptomoeda da Venezuela na lista de mais procurados. Desde então, quem compartilhar informações que levem a sua captura podem receber 5 milhões de dólares como recompensa.

Tudo indica que Joselit Ramírez deve ser investigado e julgado pelo governo venezuelano, que apura o caso. Com a reestruturação da Sunacrip, o órgão regulador das criptomoedas do país deverá ter mais rigor no registro de informações. Assim, a venda de petróleo, atividade fundamental para o país, busca evitar que um novo problema similar surja.

Fontes oficiais do governo da Venezuela não comentaram publicamente sobre a prisão do suspeito e reestruturação da Sunacrip.



Fonte