Mais uma corretora encerra atividades citando desafios regulatórios: “Saquem suas criptomoedas”

Related articles

Em comunicado publicado nesta terça-feira (4), a corretora de criptomoedas Paxful anunciou o encerramento de suas atividades. Dentre os motivos citados estão os crescentes desafios regulatórios do setor, especialmente no mercado americano.

Fundada em 2015 por Ray Youssef e Artur Schaback, a Paxful foi uma das maiores corretoras peer-to-peer (P2P) do mundo. Além de atuar nos EUA e China, a corretora também marcava presença no Brasil.

Agora, Youssef afirma que seu foco é a segurança dos fundos de seus antigos clientes. “Por favor, saque [suas criptomoedas] e, se puder, [faça] autocustódia”, comentou o executivo na despedida.

O comunicado acontece poucos dias após a corretora Bittrex sair dos EUA citando que era “inviável continuar operando neste ambiente regulatório”.

Anúncio de encerramento da Paxful

Enquanto a Localbitcoins encerrou suas atividades em fevereiro deste ano, outra gigante do mercado peer-to-peer está seguindo o mesmo caminho. No comunicado, a Paxful não revela a história completa, mas cita desafios regulatórios.

“Embora eu não possa compartilhar a história completa no momento, posso dizer que infelizmente tivemos algumas saídas de funcionários importantes”, escreveu Ray Youssef, fundador da Paxful. “Além disso, os desafios regulatórios para o setor continuam crescendo, especialmente no mercado peer-to-peer e principalmente nos EUA.”

“Enquanto trabalhamos nessas questões, escolhemos a opção mais segura e pedimos que você explore a autocustódia e negocie em outro lugar.”

Segundo o Linkedin da Paxful, a corretora estava sediada em Nova York e possuía escritórios na Estônia, Reino Unido, Filipinas, Dubai e na Rússia. No total, a empresa tinha mais de 400 funcionários e 6 milhões de clientes.

Ao que tudo indica, os recentes processos a diversas corretoras podem ter influenciado na decisão do encerramento das atividades. Como exemplo, o CFTC processou a Binance logo após a SEC multar a corretora Kraken e enviar uma notificação à Coinbase. Além disso, a Comissão também processou a Beaxy e seus fundadores na semana passada.

Corretora Paxful recomenda auto-custódia e serviços semelhantes

Pedindo para que seus clientes saquem suas criptomoedas, Ray Youssef também pede para que eles busquem soluções de autocustódia, ou seja, armazenar seus fundos sem depender de terceiros.

Como opções, a Paxful recomendou as carteiras de criptomoedas Muun e Exodus.

Finalizando, recomendou um novo serviço concorrente como opção para quem precisa realizar negociações P2P. “Todas as coisas que você faz na Paxful você pode fazer no Noones”, apontou o executivo. Outras opções apresentadas foram o Bitnob e o Yellow Card.



Fonte