Após invadirem Super Bowl em 2022, empresas de criptomoedas estão fora da edição 2023

coinbase qr code super bowl

Logo após o Bitcoin alcançar seu topo histórico de US$ 69.000 em novembro de 2021, a indústria de criptomoedas estava eufórica. Um dos maiores exemplos foi o Super Bowl do ano seguinte, onde diversas corretoras lutaram entre si para conquistar clientes com anúncios milionários.

No entanto, o período seguinte foi marcado por uma grande queda do Bitcoin e outras criptos, fazendo com que tais empresas virassem manchete novamente, mas agora devido as suas demissões em massa.

Indo além, algumas chegaram a quebrar entre os Super Bowls de 2022 e 2023, como foi o caso da FTX. Na edição anterior, a corretora apostou em uma produção de Hollywood com o ator Larry David, mas acabou virando uma piada.

“— Como eu estava dizendo, é a FTX, a maneira mais segura e rápida de entrar nas criptomoedas.
— Acho que não, e eu nunca estou errado sobre essas coisas, nunca.”

O comercial completo estava disponível no canal do YouTube da FTX, mas a corretora deletou todos os vídeos após declarar falência.

Related articles

Sem comerciais de criptomoedas no Super Bowl 2023

Enquanto o Super Bowl de 2022 foi apelidado de ‘Crypto Bowl’ por contar com tantos anunciantes da indústria de criptomoedas, o jogo é outro neste ano. Segundo relatos da mídia americana, do US$ 1,88 bilhão pelo Super Bowl LVII, nenhum único dólar veio de corretoras.

Além do próprio afastamento do setor esportivo após a falência da FTX — que rompeu contratos com equipes da NBA, F1 e de eSports — a crise no setor é um indício que as corretoras nem tentaram aproximação.

Como exemplo, as ações da Coinbase estão em queda de 66,4% desde seu famoso vídeo de 30 segundos de um código QR flutuando nas telas e telões.

Simples comercial da Coinbase no Super Bowl 2022 foi um dos mais comentados.

Já a Crypto.com, outra que marcou presença no Super Bowl passado com LeBron James, não só cancelou parcerias como também demitiu milhares de funcionários nos últimos meses. As demissões continuaram este ano, mesmo com o Bitcoin disparando quase 40% desde 1º de janeiro.

Em contraponto, alguns investidores comemoraram que corretoras de criptomoedas não aparecerão no Super Bowl deste ano, notando que a edição anterior foi um sinal de que o Bitcoin estava prestes a desabar. Sendo assim, agora estes acreditam que o contrário pode acontecer.

Por fim, o Super Bowl LVII acontecerá no próximo domingo (12) às 20:30 pelo horário de Brasília, com Philadelphia Eagles e Kansas City disputando o título.



Fonte