70% dos fundos multimercado mais rentáveis em 2023 são de criptomoedas

O Bitcoin (BTC) opera com alta de 7% nesta sexta-feira (17), cotado a US$ 26.706,59, acompanhado pelo restante do mercado de criptomoedas. A alta também favoreceu os fundos de criptomoedas, já que 35 dos 50 fundos multimercado mais rentáveis de 2023 no Brasil possuem exposição a ativos digitais, apontam dados do site Mais Retorno.

Recorde de saída de capital

Há menos de uma semana, a CoinShares publicou um relatório indicando que os fundos de investimento em criptomoedas atingiram um recorde no fluxo de saída de capital. Entre os dias 5 e 12 de março, foram retirados US$ 255 milhões desses instrumentos de investimento.

A saída massiva de capital foi relacionada aos problemas enfrentados pelo Silicon Valley Bank, e sua ligação com o mercado cripto através da USD Coin (USDC). A subsequente alta dos ativos digitais, no entanto, impulsionou a rentabilidade dos fundos, e não foi diferente no Brasil.

Recuperação rápida

Na lista dos 50 fundos multimercado mais rentáveis em 2023, os fundos com exposição a criptoativos dominam 70% das posições com melhores retornos. O fundo com melhor rentabilidade é o BLP Crypto 100, primeiro fundo de criptomoedas do Brasil, gerido pela BLP Asset, que registra alta de 52,40%.

Alexandre Vasarhelyi, gestor de portfólio na BLP, conta ao Cointelegraph Brasil que os dados informados pelo Mais Retorno seguem a base de dados da Comissão de Valores Mobiliários. Desta forma, ainda não estão atualizados com a alta massiva registrada pelas criptomoedas hoje. “Este 52,4% vai virar 50,36% pela movimentação que ainda não foi registrada e, pelo fechamento de hoje, depois deve subir bastante”, diz Vasarhelyi.

No acumulado anual, o Bitcoin valorizou 62,2%, mas sua rentabilidade pode ser ultrapassada pelos fundos com diversificação em altcoins. “Em quase toda alta, o Bitcoin sai na frente (flight to quality). Mas depois o resto do mercado acelera (alt season)”, comenta Vasarhelyi.

Dentre outros fundos multimercado mais rentáveis com exposição a criptoativos estão produtos das gestoras Hashdex, Vitreo, QR, BTG, Empiricus e Titanium.

Leia mais:

Fonte

Related articles