tokenização verde pode bombar no Brasil que já irá ‘exportar’ tokens de hidrogênio para Alemanha

O Brasil caminha para se tornar uma potência no setor de tokenização verde, como vem sinalizando diversas iniciativas no país que unem blockchain, tokenização e preservação do meio ambiente, em linha com políticas de ESG adotadas por empresas em todo o mundo.

Uma destas iniciativa envolve o próprio governo da Alemanha que em um esforço conjunto para apoiar clientes no caminho para se tornarem negócios inteligentes e sustentáveis, a SAP e a Agência de Desenvolvimento Alemã (GIZ) firmaram uma parceria que permitirá às empresas brasileiras exportar hidrogênio verde para o país. 

A parceria envolve o programa H2Uppp, do Ministério de Assuntos Econômicos e Ação Climática da Alemanha, implementado no Brasil pela GIZ. A SAP atuará como facilitadora na certificação de sustentabilidade do hidrogênio verde por meio da solução GreenToken by SAP baseada em blockchain.

O principal desafio para a exportação bem-sucedida de hidrogênio gerado por energia renovável ou de baixo carbono é a garantia de transparência sobre os critérios de sustentabilidade cumpridos em todas as etapas, desde a produção até o consumo. 

Para atender a essa necessidade, a SAP utiliza uma abordagem blockchain que coleta informações de qualquer matéria-prima registrando todo o processo em blockchain para garantir imutabilidade e transparência.

A SAP explica que a tecnologia blockchain permite a tokenização da molécula de hidrogênio, possibilitando a certificação da origem verde aos compradores e o rastreamento da pegada de carbono associada ao Escopo 3 por meio da cadeia de valor até o cliente final. 

Dessa forma, tanto os produtores quanto os compradores têm acesso a informações detalhadas e confiáveis sobre a sustentabilidade do hidrogênio verde brasileiro.

Economia verde vai impulsionar o Brasil

Defensor do uso da tecnologia blockchain e da tokenização para o desenvolvimento sustentável, Pablo Lobo, cofundador da Sthorm afirmou que a iniciativa do governo alemão mostra o potencial da economia verde tokenizada no Brasil.

“Esta parceria é uma excelente oportunidade para o Brasil mostrar seu compromisso com a sustentabilidade e expandir sua presença no mercado global de hidrogênio verde. A crescente demanda por energia limpa na Europa torna a exportação de hidrogênio verde uma opção atraente para as empresas brasileiras que buscam diversificar sua matriz energética e contribuir para a redução das emissões globais de gases de efeito estufa”, disse.

Recentemente em Dubai, Lobo destacou que em todo o mundo as empresas e governos estão em busca de soluções ligadas a economia verde e que o Brasil pode liderar esse segmento pois o país tem grandes iniciativas na área, além de um grande território em potencial para a expansão do negócio.

Pablo Lobo revelou ainda que a Sthorm está trabalhando em dois projetos complementares que serão apresentados em breve: o PlanetaryX e o GreenBook. Ambos utilizam a tecnologia blockchain para promover mudanças positivas no planeta.

“Estamos muito empolgados em apresentar esses projetos, que serão ferramentas poderosas de aliança entre a população, as empresas e os governos para a solução de sérios problemas planetários, como as mudanças climáticas e suas graves consequências.”

Quem também vem defendendo a tokenização como ferramenta para impulsionar a economia verde no Brasil é o presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), João Pedro Nascimento. Ele acredita que por meio da tokenização e das ferramentas de economia digital, práticas de ESG podem ganhar um novo impulso e gerar uma economia forte para o Brasil.

Ele destacou o mercado de créditos de carbono tokenizados com uma das grandes oportunidades desta economia verde e digital.

“Criptoeconomia é mais um caminho para o desenvolvimento do pais. O futuro é verde e digital. O mercado de carbono é um mercado global e com a tokenização você cria a possibilidade de diversas empresas e países investirem em projetos brasileiros. Trazendo recursos para o país e gerente muitas alternativas de ESG para os entes privados, beneficiando toda uma cadeia desta nova economia”, destacou.

LEIA MAIS

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletem as posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar uma decisão.

Fonte

Related articles