Grayscale ‘vira o jogo’ contra a SEC em audiência sobre ETF de Bitcoin

Logotipo da Grayscale com moedas de Bitcoin.

Related articles

Logotipo da Grayscale com moedas de Bitcoin.

A Grayscale, responsável pelo fundo GBTC, enfrentou a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a SEC, em uma corte americana nesta terça-feira (7). Ao que tudo indica, agora as chances do fundo ser convertido para um ETF estão maiores que antes.

No total, o GBTC tem mais de 3% de todos os bitcoins existentes no mundo. O valor destes 643.572 bitcoins chega perto dos 75 bilhões de reais em conversão direta.

Devido à dificuldade de saques, o GBTC está com um desconto de 42,11% em relação do Bitcoin. De qualquer forma, a audiência de hoje fez o ativo da Grayscale subir 22% antes de uma correção.

Argumentos usados pela Grayscale parecem ter convencido juízes do caso contra SEC sobre ETF de Bitcoin

Para negar a aprovação da conversão do fundo GBTC para um ETF de Bitcoin à vista, a SEC alegou que o mercado de criptomoedas pode ser facilmente manipulado, ponto recorrente em diversas outras aplicações que também foram rejeitadas.

Como resultado, a Grayscale decidiu processar a Comissão de Valores Mobiliários americana no ano passado. Em suma, a empresa alega que a SEC estaria agindo de forma arbitrária e caprichosa.

No entanto, os argumentos apresentados pela Grayscale parecem ter convencido os juízes do caso. O maior deles é que ETFs de futuros de Bitcoin já foram aprovados, ou seja, não haveriam motivos para que um ETF à vista não fosse.

A juíza Naomi Rao bateu nesta tecla, questionando a posição da SEC.

“Parece-me que a Comissão [SEC] realmente precisa explicar como ela entende a relação entre futuros de bitcoin e o preço à vista do bitcoin”, disse a juíza. “Parece-me que um é essencialmente um derivado. Eles se movem juntos 99,9% do tempo. Então, onde está a lacuna, na opinião da Comissão?”

Além da Grayscale, afiliada do Digital Currency Group (DCG), outras empresas como Ark e WisdomTree também já foram barradas pela SEC. Mesmo assim, Gary Gensler, presidente da Comissão, segue afirmando que o Bitcoin é uma commodity.

Alameda Research processa Grayscale

Neste meio tempo, a Alameda Research, afiliada da FTX, processou a Grayscale. Segundo o documento, a empresa fundada por Sam Bankman-Fried alega que as taxas de redenção da Grayscale, tanto do fundo de Bitcoin quanto de Ethereum, são altas demais. A Alameda afirma ter US$ 9 bilhões (R$ 46,7 bi) presos no fundo.

Como resposta, um porta-voz da Grayscale afirmou que o processo é “equivocado”. A defesa comentou justamente sobre os esforços a conversão do fundo em um ETF, o que reduziria as taxas mencionadas.

Portanto, a alta do GBTC nesta terça-feira (7) reflete a esperança de que a Grayscale tenha se saído bem no tribunal americano.

Por fim, muitos apontam que o fundo da Grayscale foi um dos pilares para a falência de diversas empresas do setor. Afinal, muitos players estavam comprando GBTC com desconto, acreditando que pudessem lucrar esta diferença. No entanto, tal desconto continuou aumentando à medida que estes mesmos players precisaram se desfazer de suas posições.

Na exchange Digitra.com, além de nunca mais pagar taxas de negociação em cripto, você ainda recebe por cada transação feita. Conheça o Trade to Earn! acesse
Digitra.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.



Fonte