Em dia de listagem na Binance, criptomoeda flerta com a Meta e dispara 458% enquanto o Bitcoin ‘entra na pilha do Fed’

Nadar contra a maré no mercado de criptomoedas pode representar ainda mais exposição a riscos, o que potencializa as chances de perda, e também de ganhos. Possivelmente este cenário delineado nos últimos dias de fevereiro deve se prolongar até o dia 22 de março, pelo menos, data em que o Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, deve aumentar a taxa de juros em 25 ou 50 pontos-base. Esse segundo caso estava associado à pressão sobre o mercado cripto, que movimentava US$ 1,06 trilhão (-0,67%) na manhã desta terça-feira (28), quando o Bitcoin (BTC) era trocado de mãos pouco acima de US$ 23,2 mil (-0,48%).

Por outro lado, a precificação do FUD (medo, incerteza e dúvida) pode estar em curso, o que, caso se confirme, pode representar a amplificação de ganhos. Não por acaso, o especialista em criptomoedas Diego Consimo disse que o Bitcoin tem boas chances de disparar em direção aos US$ 32 mil ainda em março, mas pode derreter para baixo de US$ 19 mil, caso os touros não consigam manter o suporte de US$ 21,4 mil.

Related articles

A maioria das principais altcoins por capitalização de mercado andavam relativamente de lado em uma faixa que variava entre -1% e +1%. Nesse caso, figuravam entre as exceções o MATIC, avaliado em US$ 1,22 (-2,29%), o SOL estimado em US$ 22,21 (-2,51%), o DOT, precificado em US$ 6,46 (-2%), o EOS, transacionado por US$ 1,16 (+4,20%), o CRV, comprado por US$ 1,03 (+2,67%), o TON, nivelado em US$ 2,49 (+2,75%), o DYDX, cotado em US$ 3,01 (+8,91%), e o FXS, estimado em US$ 11,20 (+8,95%).

No caso das altas de dois dígitos, o XEM respondia por US$ 0,053 (+23,62%), o IMX se convertia em US$ 1,06 (+11,92%), o AGIX se transformava em US$ 0,45 (+11%), o recém-listado na zona de inovação da Binance Liquity Protocol (LQTY) era trocado por US$ 1,81 (+33,66%), o TRU se comparava a US$ 0,097 (+42%), o MRS era negociado por US$ 1,84 (+37%), o KAS estava avaliado em US$ 0,011 (+30%), o XTN se localizava em US$ 0,18 (+32%), e o RLY estava quantificado em US$ 0,014 (+17%), o SSX era transacionado por US$ 0,024 (+14%).

Quem ignorou as “crises existenciais” do mercado de criptomoedas e disparou nas últimas horas foi o pouco conhecido GMM, token da startup descentralizada sediada em Barcelona voltada à criação de identidade digital no metaverso e na Web 3 Gamium, negociado a US$ 0,0031 (+458%).

Gráfico diário do par GMM/USD. Fonte: CoinMarketCap

Pelo que era possível perceber no gráfico, a explosão do GMM começou a partir de uma sequência de publicações dos desenvolvedores da Gamium no Twitter de que a startup, acelerada pela Wayra, que é um braço de inovação gigante de telefonia espanhola Telefónica, está trabalhando junto da equipe de inteligência artificial da Meta para dar início “maior protocolo financeiro e de identidade do mundo.”

“Estamos apenas começando”, respondeu o Twitter oficial da Meta à publicação da Gamium. 

O GMM está longe de ser um caso isolado quando o assunto é altcoins que disparam em meio a desenvolvimento de projetos. Que o diga a exchange de criptomoedas Coinbase, que anunciou o desenvolvimento de uma blockchain própria e favoreceu a alta semanal de até 180% de 10 tokens relacionados à rede Optimism, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil.

LEIA MAIS:



Fonte