Criptomoeda desconhecida dispara 80% enquanto o Bitcoin reage apesar da crise do SVB e a divulgação da inflação nos EUA

Na manhã desta segunda-feira (13), o mercado de criptomoedas movimentava US$ 1,01 trilhão (+5,92%) em um movimento de recuperação da perda semanal. Alta que também favorecia a ascensão do Bitcoin (BTC), precificado em torno de US$ 21,9 mil (+6,83%). A recuperação de preços acontecia na esteira da divulgação de dados do mercado de emprego nos EUA na última sexta-feira (10), quando o relatório payroll apontou um recuo na geração de novos postos de trabalho em fevereiro, no comparativo com o mês anterior. 

A divulgação dos dados foi recebida com desconfiança pelos investidores, porque os 311 mil postos de trabalho gerados no mês passado evidenciaram diminuição em relação aos 504 mil de janeiro, embora os números estejam altos. Entretanto, com a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) na próxima quarta-feira (15), os investidores de criptomoedas terão um sinal mais claro do comportamento do Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, em relação à alta na taxa de juros. 

Related articles

O mercado de criptomoedas se desprendia do mercado de ações, que pareceu mais impactado no fechamento dos pregões na última semana, já que o S&P 500 (SPX)  e o NASDAQ operavam em 3.861 (-1,45%) e 11.138 pontos (-1,76%), respectivamente. Baixa que coincidia com o temor de um efeito cascata no sistema bancário em decorrência do colapso do Silicon Valley Bank (SVB), detentor de cerca de US$ 40 bilhões (25%) das reservas da empresa Circle, detentora da USD Coin (USDC). A stablecoin perdeu a paridade com o dólar americano com o FUD (medo, incerteza e dúvida) entre os investidores. 

A maioria das principais altcoins em capitalização de mercado operavam em alta. O ETH estava avaliado em US$ 1.584 (+7,39%), o BNB se convertia em US$ 296 (+6,91%), o ADA representava US$ 0,33 (+8,76%), o MATIC ERA TRANSACIONADO POR us$ 1,11 (+4%), o DOGE equivalia a US$ 0,069 (+4%), o SOL se transformava em US$ 19,33 (+6,16%), o LTC estava estimado em US$ 75,60 (+9,58%) e o AVAX representava US$ 15,75 (+8,17%).

Em relação às altas de dois dígitos, o CFX estava cotado a US$ 0,18 (+28%), o SNX estava nivelado em US$ 2,83%), o MKR era trocado por US$ 871,57 (+25%), o OP era negociado por US$ 2,31 (+22,44%), o ACH era trocado de mãos por US$ 0,030 (+22%), o CBG representava US$ 1,99 (+18%), o SDAO era atraído por US$ 0,57 (+34%) e o XTP estava quantificado em US$ 0,0084 (+51%).

Um dos destaques era o pouco conhecido NSBT, token da Neutrino, que se apresenta como um protocolo de ativo algorítmico estável que atua como um kit de ferramentas DeFi para a criação de stablecoins atreladas a ativos específicos do mundo real, trocado de mãos por US$ 4,91 (+80%).

Gráfico diário do par NSBT/USD. Fonte: CoinMarketCap

Pelo que apresentavam os canais oficias do projeto, não era possível identificar um episódio pontual para o desempenho do token. Porém, no final de janeiro, o NSBT chegou a ser negociado por US$ 8,68 e acumular alta mensal de 272%. Ocasião em que o token figurou entre dez criptomoedas conhecidas e desconhecidas que subiram até 7.379% em 30 dias. 

Na última semana, enquanto baleias arrastavem três altcoins em meio à turbulência cripto com o Silvergate e o Fed, dez criptomoedas se mostravam mais atingidas com o banho de sangue enquanto análises on-chain apontavam possível sinal de alta, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil.

LEIA MAIS:

Fonte