Bitcoin espreita Jerome Powell com os investidores de olho nos dados econômicos que devem mexer com o mercado de criptomoedas

Operando sob uma capitalização de mercado de US$ 1,02 trilhão (+0,20%) na manhã desta terça-feira (7), o mercado de criptomoedas apresentava sinais de cautela dos investidores diante de uma agenda semanal recheada de eventos que prometem mexer com os mercados. O que se somava à pressão interna do mercado nos últimos dias, desde que o banco Silvergate, que operava pagamentos para exchanges e outras empresas cripto, adiou a divulgação dos resultados do último trimestre do ano passado, o que resvalou negativamente no preço do Bitcoin (BTC), que se encontrava estável em torno de US$ 22,4 mil.

Os dois destaques da semana estão ligados aos sinais da postura a ser adotada pelo Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, diante da inflação na maior economia do planeta. Isso porque, uma elevação mais suave dos juros pode ajudar a elevar os ganhos das criptomoedas ao passo que um arrocho mais agressivo tente a afastar os investidores do risco, que inclui os projetos envolvendo criptomoedas. Entre terça e quarta, o presidente do Fed, Jerome Powell, discursa no Capitólio em duas sessões, uma na Câmara e outra no Senado, enquanto, na sexta-feira (10), o Departamento do Trabalho divulga o relatório de empregos (payroll) de fevereiro.

No mercado de criptomoedas, a plataforma de monitoramento on-chain Santiment observou durante a madrugada que o nível de ceticismo está alto entre traders e holders de alta capitalização, FUD (medo, incerteza e dúvida) que aumenta a probabilidade de saltos de preço durante o período de descrença. 

Por sua vez, a plataforma de análise Glassnode, em um boletim semanal, informou que o mercado cripto apresenta sinais de que está tentando abandonar o mercado de baixa. Entre eles estão a rejeição de ofertas abaixo de US$ 23,5 mil por baleias de Bitcoin mais antigas, aumento do lucro não realizado (+15%) por carteiras de médio porte, entrada de novos capitais no mercado, aumento de transferência mensal, para US$ 9,5 bilhões por dia. 

A maioria das principais altcoins por capitalização de mercado permanecia em um canal localizado entre -1% e +1%. Entre as exceções estavam o XRP, transacionado por US$ 0,37 (+1,70%), o MATIC, estimado em US$ 1,15 (+2,30%), o GMX, trocado de mãos por US$ 71 (+2,20%), o ENJ, estabelecido em US$ 0,43 (+3,45%), e o SSV, avaliado em US$ 38,85 (+4%).

Em relação às altas de dois dígitos, o FLOKI respondia por US$ 0,000044 (+10,28%), o MASK se convertia em US$ 3,87 (+17,67%), o EVER estava nivelado em US$ 0,10 (+15,12%), o REN era comprado por US$ 0,12 (+13,51%), o PENDLE valia US$ 0,28 (+16%), o GMM representava US$ 0,0024 (+18,59%), o ALCX se transformava em US$ 25,03 (+10,24%), o PERL era transacionado por US$ 0,035 (+22%), o HELLO se estabelecia em US$ 0,038 (+22%), o BLT era trocado de mãos por US$ 0,058 (+11,87%), o AWC correspondia a US$ 0,53 (+10,68%) e o UNO estava precificado em US$ 0,077 (+18,68%). 

Na última segunda, especialistas também alertavam para a possível armadilha de urso do Bitcoin e apontavam cinco criptomoedas para ficar de olho apesar das preocupações com o Silvergate, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil. 

LEIA MAIS:



Fonte

Related articles