Ações de fiscalização da SEC dos EUA criam perspectivas favoráveis para GMX, Lido (LDO) e Maker (MKR)

Related articles

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está intensificando a repressão à indústria de criptomoedas e as recentes ações de aplicação da lei da agência tiveram um impacto negativo nos preços das criptomoedas na semana passada e no início desta semana.

A SEC está focada em emissores de stablecoins. A mais recente ação de repressão ao setor da SEC aconteceu em 13 de fevereiro por meio da emissão de um aviso de Wells para a Paxos Trust Company, emissora do Binance USD (BUSD). Enquanto Paxos defende que o BUSD não é um valor mobiliário e, portanto, estaria fora da jurisdição da SEC, alguns advogados dizem que a resposta não é tão simples, o que vem gerando medo medo de que outros grandes emissores de stablecoins, como o USD Coin (USDC) da Circle, possam ser os próximos alvos da agência.

A SEC também está mirando as exchanges centralizadas (CEX), questionando como elas podem usar os fundos dos clientes como custodiantes qualificadas. Em 15 de fevereiro, um painel de cinco membros da SEC votará a aprovação de uma medida que deve tornar mais difícil para as empresas de criptomoeda custodiar ativos digitais de terceiros.

As plataformas de staking centralizadas também estão sob o escrutínio da SEC e, como os programas de staking oferecem rendimentos aos investidores, a SEC acredita que eles se constituem como ofertas de valores mobiliários. Em 9 de fevereiro, a SEC iniciou seu ataque a esses programas ao fechar um acordo de US$ 30 milhões referente ao serviço de staking da Kraken.

Curiosamente, os traders não adotaram uma posição totalmente isenta de riscos diante da recente atividade da SEC, e certas soluções descentralizadas como GMX (GMX), Lido (LDO) e Maker (MKR) estão em alta.

Vamos dar uma olhada mais de perto no pontencial desses provedores de serviços descentralizados.

DAI, stablecoin da Maker, se beneficia das saídas da Paxos

Depois que o aviso de Wells foi enviado à Paxos pela SEC, os resgates do BUSD atingiram  US$ 342 milhões em 24 horas. Os resgates de BUSD junto a Paxos implicam na queima do token da dívida pendente. Portanto, embora a Binance tenha dito que continua a apoiar o BUSD, a capitalização de mercado da stablecoin diminuirá com o tempo, uma vez que a Paxos foi impedida de emitir novos tokens.

Capitalização de mercado das stablecoins. Fonte: Nansen

Embora os resgates tenham diminuído recentemente, a capitalização de mercado do BUSD caiu de US$ 16,2 bilhões antes do anúncio da SEC em 13 de fevereiro para US$ 15,4 bilhões em 14 de fevereiro. A capitalização de mercado de US$ 15,4 bilhões marca uma mínima mensal para a terceira maior stablecoin do mercado.

Capitalização de mercado do BUSD. Fonte: CoinGecko

Logo após a ação de execução da SEC, a Maker – emissora da stablecoin descentralizada DAI – viu um aumento em seu uso e nas taxas recolhidas pelo protocolo. Durante um período de sete dias, as taxas da Maker cresceram 8,37% e dispararam acumulando US$ 667.000 em 24 horas em 13 de fevereiro.

Taxas do Maker e detentores do token. Fonte: Token Terminal

O Maker está entre os 10 tokens com melhor desempenho semanal de acordo com o CoinGecko, acumulando ganhos de mais de 8,8% em sete dias. Com a incerteza em torno de outras grandes stablecoins como o USDC após o anúncio da ação da SEC, as taxas do Maker podem continuar a aumentar.

GMX bate novo recorde histórico à medida que incertezas sobre CEX crescem

O GMX, token nativo da exchange de derivativos descentralizada GMX, já havia se beneficiado anteriormente quando uma grande exchange centralizada registrou grandes fluxos de saídas. A GMX tende a ver um aumento no recolhimento de taxas e no preço do seu token nativo. Como as saídas líquidas da Binance atingiram US$ 788 milhões nas 24 horas após o anúncio da SEC em 13 de fevereiro, o preço do GMX bateu um novo recorde histórico ao atingir US$ 83,02. Em 15 de fevereiro, a Binance registrou outros US$ 535 milhões em saídas líquidas.

Fluxo líquido diário da Binance. Fonte: Dune

Em 10 de fevereiro, a GMX bateu seu recorde histórico de taxas recebidas, chegando a US$ 5,7 milhões em 24 horas. E com os usuários ativos diários aumentando 16,2% para 2.150, as saídas da Binance podem levar exchange em desenvolvimento a um crescimento sustentado.

Os investidores parecem estar apostando no crescimento do GMX, com ganhos de 12,9% em 7 dias.

Principais métricas do GMX. Fonte: Token Terminal

Lido quer ganhar mercado nos próximos meses

Após o acordo de US$ 30 milhões da SEC com a Kraken, os preços do BTC e das altcoins caíram, enquanto o preço do LDO subiu.

Nas 24 horas após o anúncio da SEC em 9 de fevereiro, o LDO valorizou 13,2% e os investidores parecem acreditar que o Lido pode repetir essa ação, pois é um dos doze tokens com melhor desempenho nos últimos sete dias, acumulando ganhos de 16%.

Além do crescimento do preço de seu token nativo, o uso do Lido como uma plataforma de staking descentralizada disparou, gerando US$ 35,8 milhões em taxas em 30 dias.

Principais métricas da Lido. Fonte: Token Terminal

Embora a Lido não tenha testemunhado um aumento na média de usuários ativos diários, possíveis futuras ações de aplicação da lei contra a Coinbase podem se traduzir em um aumento na participação de mercado do Lido entre os stakers do Ether.

O que está claro é que a série de ações recentes da SEC contra serviços de staking centralizados, exchanges centralizadas e stablecoins estão levando os investidores a se posicionarem em soluções descentralizadas como GMX, Lido e Maker.

As visões, pensamentos e opiniões expressas aqui são apenas dos autores e não necessariamente refletem ou representam as visões e opiniões do Cointelegraph.

Este artigo não contém conselhos ou recomendações de investimento. Todo movimento de investimento e negociação envolve riscos, e os leitores devem conduzir suas próprias pesquisas ao tomar uma decisão.

LEIA MAIS

Fonte