Vitalik Buterin reclama das criptomoedas, “perdi Bitcoin e Ethereum”

Refletindo sua experiência de uma década com uso de criptomoedas, Vitalik Buterin mostrou-se insatisfeito com diversos pontos. Segundo o fundador do Ethereum, “a maioria dos usuários nem sabe o que são limites de gas.”

Em relação a esta afirmação, Buterin relatou um caso de 2022. Ao tentar pagar por um chá, sua transação falhou justamente por ter um “gas” baixo, não aceitável pelo contrato inteligente que estava tentando interagir.

Nem mesmo seu amplo conhecimento no assunto conseguiu fazer com que a transação funcionasse. Em uma segunda tentativa, o fundador do Ethereum conta que uma falha na carteira o impediu de alterar tal valor.

Ainda não é fácil lidar com criptomoedas no dia-a-dia, diz fundador do Ethereum

Em outro caso, ainda em 2013, Vitalik Buterin conta que foi a um restaurante de sushi em São Francisco. Percebendo que o estabelecimento aceitava Bitcoin, tentou escanear o código QR, mas a transação não andava.

“Parecia ter sido enviado, mas o restaurante não estava recebendo. Tentei novamente, ainda sem sorte”, lembrou Buterin. “Logo descobri que o problema era que minha internet móvel não estava funcionando bem na época. Tive que caminhar mais de 50 metros em direção ao Internet Archive para acessar seu Wi-Fi, o que finalmente me permitiu enviar a transação.”

Related articles

Como solução, o fundador do Ethereum sugere que soluções como NFC (sigla inglesa para Comunicação por Campo de Proximidade) sejam adotados para evitar problemas de conexões e ter seu pagamento transmitido.

Seguindo, Buterin relata outro problema frequente com as criptomoedas, o tempo de espera. Enquanto algumas transações são confirmadas em poucos segundos, no caso do Ethereum, estas podem levar até horas devido a aumentos súbitos na demanda da rede.

“Não há grandes alertas vermelhos piscando e muito pouca indicação clara do que você deve fazer para resolver esse problema”, comentou Vitalik Buterin sobre as carteiras de criptomoedas, especificamente de Ethereum. “Mesmo para um especialista, que sabe que neste caso você deve “acelerar” a transação publicando uma nova transação com dados idênticos, mas com uma taxa base máxima mais alta, geralmente não fica claro onde está o botão para fazer isso.”

Portanto, se nem o criador do Ethereum acha fácil realizar um pagamento em sua própria criptomoeda, quem dirá usuários comuns que estão acostumados com métodos mais amigáveis.

Vitalik Buterin afirma que já perdeu Bitcoin e Ethereum por conta de falha em backup de carteira

Outra experiência frustrante para Vitalik Buterin foi quando o desenvolvedor testou métodos alternativos de backup de sua carteira.

Dividindo sua chave-privada em cinco partes, Buterin entregou cada fragmento para um amigo diferente, o que aumentaria a segurança de seus fundos. No entanto, quando precisou das mesmas para acessar sua carteira, algumas partes haviam sido perdidas.

“Dois deles perderam seus fragmentos de chave, porque trocaram de telefone e esqueceram de mover o aplicativo de recuperação. Para um terceiro, o mecanismo de conexão do Firebase não funcionou por muito tempo.”

Por sorte, Buterin encontrou um método para acessar suas criptomoedas, mas conta que a carteira “quebrou novamente”.

“Desta vez, uma atualização regular de software de alguma forma acidentalmente redefiniu o armazenamento do aplicativo e excluiu sua chave”, explica o fundador do Ethereum. “Acabei perdendo uma pequena quantidade de BTC e ETH.”

Por fim, Vitalik Buterin espera que a indústria crie soluções mais amigáveis aos usuários. Notando que muitas pessoas ainda optam por serviços centralizados justamente por essa experiência difícil até mesmo para os mais experientes.



Fonte