Número de baleias do BTC encolhe para níveis do início de 2020 – 5 coisas para saber sobre o Bitcoin esta semana

Related articles

O Bitcoin (BTC) continua pressionando por um fechamento positivo em fevereiro, já que o fechamento mensal inicia a ação de preço de uma nova semana.

A maior criptomoeda do mercado parece destinada a preservar seus ganhos ao fechar o segundo mês de 2023 – e está mantendo vivas as esperanças dos touros no processo.

Os bons tempos podem continuar? A próxima semana pode significar tempo de decisão para a área-chave em torno de US$ 25.000 da ação do preço do BTC.

Os analistas estão de olho em uma fuga para US$ 30.000 se a zona em questão puder ser transformada de resistência em suporte, embora permaneçam preocupações de que uma viagem de volta à resistência recuperada em janeiro ainda esteja em jogo.

Em meio a uma semana sem divulgações importantes  dados macroeconômicos na agenda, qualquer catalisador para determinar se o par BTC/USD sobe ou desce pode vir do próprio Bitcoin.

Uma coisa é certa, os dados on-chain mostram que os hodlers de longo prazo do Bitcoin ainda não estão dispostos a vender e, aos preços atuais, continuam aumentando sua exposição ao BTC em massa.

O Cointelegraph analisa alguns dos principais fatores a serem considerados quando se trata do que o Bitcoin pode apresentar na semana que vem.

Fechamento mensal do Bitcoin pode definir tendência de março

Parecia que o fim de semana não seria bom, mas o Bitcoin conseguiu evitar uma grande retração e reverteu para cima nas primeiras horas da nova semana.

Um fechamento semanal em torno de US$ 23.500 foi música para os ouvidos daqueles que desejam ver uma recuperação de alta mais cedo ou mais tarde.

“O BTC conseguiu quebrar acima do nível de ~ $ 23.400, que é a faixa alta da macro faixa mensal”, expicou o popular trader e analista Rekt Capital.

“É isso que o BTC precisa continuar fazendo para manter um viés de alta à medida que fevereiro se aproxima do fim. O próximo fechamento mensal será muito interessante.”

Gráfico anotado BTC/USD. Fonte: Rekt Capital/ Twitter

Nos níveis atuais, o par BTC/USD subiu cerca de 1,25% em fevereiro de 2023 – um número modesto para os padrões históricos, mas ainda notável por preservar os ganhos do ano.

Para Rekt Capital, março marca o verdadeiro mês decisivo para o par BTC/USD, à medida que se aproxima de uma linha de tendência de longo prazo, cuja quebra sinalizaria uma reversão total da tendência.

“Fevereiro está chegando ao fim e, de fato, não há muita empolgação para o BTC, como tem sido historicamente o caso antes de uma vela mensal pré-rompimento”, continuou ele.

“Dado como a macro tendência de baixa é uma linha de tendência inclinada, o preço de rompimento do BTC será um pouco mais baixo em março, em torno de ~$ 24.500.”

Gráfico anotado BTC/USD. Fonte: Rekt Capital/ Twitter

Uma outra postagem reiterou US$ 25.000 como o nível a ser quebrado para “confirmar” uma macro tendência de alta.

Outro trader, Crypto Chase, foi mais categórico sobre a ação de preço de curto prazo. Em uma postagem publicada no Twitter durante a noite, ele também sinalizou US$ 25.000 como a linha na areia.

“Chamada perfeita com repique em 22,7k. No entanto, trata-se de um movimento de fim de semana.. Não ficaria surpreso em ver outro reteste do 0,618 ou uma terceira corrida ”, comentou ele sobre referindo-se às baixas do fim de semana.

“Nesse ponto, torna-se um caso de vai ou racha para mim. Segure e ainda podemos ver 25K+ liq. Perdê-lo significa 20K a seguir.”

#Bitcoin

Gráfico de 4h – reversão de alta de curto prazo

— Stockmoney Lizards (@StockmoneyL)

Enquanto isso, o recurso de negociação Stockmoney Lizards descreveu uma “reversão de alta de curto prazo” para o preço e o índice de força relativa (RSI) no gráfico de 4 horas, à medida que o fim de semana chegava ao fim.

Foco macro muda para a liquidez do banco central

Em uma mudança revigorante em relação às duas semanas anteriores, as divulgações de dados macroeconômicos dos EUA serão mais moderados no início de março.

Como o Cointelegraph relatou, no entanto, os analistas estão cada vez mais de olho nos lançamentos de contrapartes da Ásia como um potencial influenciador de preços do BTC.

As injeções de liquidez de bancos centrais – contrastando com o Banco Central dos EUA (Fed) – continuam sendo um tópico importante.

“Liquidez global – projetada para aumentar em 2023, mas recentemente recuou”, escreveu o popular comentarista Tedtalksmacro no Twitter.

“- A China injetou ~ $ 450 bilhões nos mercados monetários durante dezembro + janeiro – a liquidez dos EUA estagnou, a liquidez do governo ultrapassou o Fed QT recentemente. Os mercados são um produto de apetite de risco eliquidez.”

Gráfico de comparação de liquidez macro. Fonte: Tedtalksmacro/ Twitter

Tedtalksmacro, no entanto, destacou uma contratendência potencial na política do banco central do Japão. O Banco do Japão (BoJ), ele alertou, ainda pode recorrer ao aperto financeiro para domar a inflação.

“Na sexta-feira da semana passada, o núcleo da inflação japonesa atingiu o nível mais alto desde 1981 –> alimentando a especulação de que o Banco do Japão precisará promover um aperto depois de anos de política monetária extremamente flexível”, observou ele.

Comparando o desempenho dos macroativos dos EUA com as criptomoedas após a impressão dos dados do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) de janeiro, ele acrescentou que os criptoativos permaneceram “teimosos”, apesar de outros ativos também terem começado a subir.

Gráfico de comparação de ativos macro. Fonte: Tedtalksmacro/ Twitter

A plataforma de análise Mosaic Asset concentrou-se no potencial de o Fed aumentar as taxas de juros de referência mais do que o esperado em sua próxima reunião marcada para março.

“Sem sinais de que a economia está desacelerando e mais um relatório de inflação mais quente do que o esperado na semana passada… série de atualizações, escreveu “The Market Mosaic” em 26 de fevereiro.

“Você pode ver isso refletido nas previsões sobre a magnitude do próximo aumento da taxa de juros, onde as estimativas implícitas do mercado atualmente favorecem outro aumento de 0,25%. Mas as chances estão aumentando rapidamente para a possibilidade de um aumento de 0,50%, com outros mais ainda a caminho, enquanto as taxas devem permanecer mais altas por mais tempo.”

De acordo com a FedWatch Tool do CME Group, as chances de um aumento de 0,5% em vez dos 0,25% observados em fevereiro estão atualmente em 27,7%.

Gráfico de probabilidades da taxa-alvo do Fed. Fonte: CME Group

Vendedores têm primeira semana de perdas líquidas em 2023

Embora o Bitcoin possa ter subido mais de 40% no acumulado do ano, o caminho para a recuperação do hodler médio continua frágil.

Essa é a conclusão dos dados mais recentes divulgados pela empresa de pesquisa Santiment, que mostram que a ação mista do preço do BTC na semana passada ainda conseguiu gerar perdas líquidas realizadas entre os vendedores.

O Ether (ETH) viu o mesmo fenômeno acontecer, marcando a primeira semana de 2023 em que os vendedores tiveram prejuízos.

“Bitcoin e Ethereum estão registrando mais traders vendendo com prejuízo do que com lucro esta semana – a primeira semana a registrar tal fenômeno até agora em 2023”, comentou a Santiment.

“Historicamente, uma vez que a multidão está saindo de suas posições com prejuízo com mais frequência, é mais provável que novos fundos se formem.”

Gráfico anotado de perdas realizdas de Bitcoin e Ethereum. Fonte: Santiment/ Twitter

A má sorte dos vendedores contrasta com a estratégia ainda firmemente em vigor para os detentores de longo prazo, que continuam aumentando suas posições de BTC.

De acordo com a empresa de análise de dados on-chain Glassnode, a mudança de posição líquida dos hodlers de longo prazo atingiu uma nova máxima de quatro meses neste fim de semana, refletindo a taxa na qual a acumulação está ocorrendo.

Gráfico de variações de saldo líquida dos hodlers do Bitcoin . Fonte: Glassnode/ Twitter

Além disso, a porcentagem do suprimento de BTC que está inativa há pelo menos cinco anos é agora maior do que nunca – em 28,24%.

Gráfico da porcentagem do suprimento de Bitcoin inativo há mais de 5 anos. Fonte: Glassnode/ Twitter

Receita do Bitcoin atinge máxima de 8 meses

Uma situação bastante semelhante está sendo testemunhada atualmente entre os mineradores de Bitcoin.

Aqui, os dados da Glassnode mostram que, em uma base contínua de 30 dias, os mineradores estão mantendo mais BTC do que vendendo, mas os preços atuais estão mantendo esta tendência precária.

Embora não seja necessária uma grande queda de preço para obrigá-los a voltar a se desfazer de suas posições, as condições atuais permanecem muito mais saudáveis do que as observadas nos meses anteriores.

Gráfico de alteração das posições líquidas dos mineradores de Bitcoin. Fonte: Glassnode

Um dado positivo vem na forma da receita de mineração, que, embora modesta, está no nível mais alto dos últimos oito meses.

Gráfico de receitas dos mineradores de Bitcoin. Fonte: Glassnode/ Twitter

A receita foi favorecida pelas taxas geradas pelos ordinals, que em fevereiro ultrapassaram a marca de US$ 1 milhão.

Taxas dos ordinals pagas aos mineradores de Bitcoin ultrapassam US$ 1 milhão

O que é um Ordinal – são dados arbitrários armazenados na blockchain BTC em um endereço taproot. Os tamanhos dos blocos do BTC foram aumentados para 4 MB por bloco, permitindo o armazenamento de dados, como imagens sob a forma de NFTs.

— Jack Levin (@mrJackLevin)

Apesar dos ordinals resultarem em um “mempool mais completo” para o Bitcoin, observou uma pesquisa na semana passada, os mineradores ainda conseguiram limpá-lo, mostrou a Glassnode.

Gráfico da mempool do Bitcoin. Fonte: Glassnode

Para as baleias do Bitcoin, estamos de volta ao início de 2020

Elas podem ser responsáveis por alguns eventos interessantes nos livros de ordens das exchanges de criptomoedas, mas o número de baleias do Bitcoin está de fato diminuindo.

Com a ação do preço ainda 65% abaixo das máximas de todos os tempos, as maiores entidades investidoras do BTC ainda não estão convencidas de que agora é a hora de retornar ao mercado.

De acordo com a Glassnode, o número de baleias está agora no menor nível em três anos – apenas 1.663 entidades únicas agora controlam 1.000 BTC ou mais. Três anos atrás, em fevereiro de 2020, o Bitcoin era negociado a menos de US$ 10.000.

A Glassnode define uma entidade única como “um cluster de endereços que são controlados pela mesma entidade de rede.”

Em seu pico em fevereiro de 2021, havia 2.161 baleias identificadas na rede do Bitcoin.

Gráfico de baleias do Bitcoin. Fonte: Glassnode

“Clusters” de transações de baleias podem, no entanto, oferecer uma visão sobre suporte e resistência, mesmo com o número de baleias em baixa.

Como observa o recurso de monitoramento Whalemap, US$ 23.000 continua sendo um foco de preço chave graças ao comportamento das baleias neste mês.

O BTC quebrou a resistência da bolha

Agora será nosso suporte caso comecemos a cair

US$ 27.100 parece ser o alvo mais próximo de acordo com as métricas onchain no caminho para cima

Desempenho bestial do BTC hoje

— whalemap (@whale_map)

As visões, pensamentos e opiniões expressas aqui são exclusivas dos autores e não necessariamente refletem ou representam as visões e opiniões do Cointelegraph.

LEIA MAIS



Fonte