“Não compre imóvel, invista na Braiscompany”, broker famosa por outdoor se demite

Broker da Braiscompany que divulgou empresa em outdoor se desliga da empresa

Related articles

Uma broker famosa da Braiscompany, que divulgou a empresa em um outdoor, comparando os rendimentos da empresa fraudulenta com investimentos em um imóvel, se desligou da empresa alegando prejuízos.

Karol Sousa, como era conhecida entre os investidores, é apenas mais uma a pular do barco, que afundou de vez após a Operação Halving, da Polícia Federal.

Enquanto brokers apagam vestígios de ligações com a empresa, um passado de ostentação e glórias, continuam sendo investigados pela PF no inquérito que apura a atuação da pirâmide financeira da Paraíba.

Agora ex-broker da Braiscompany, dona de polêmico outdoor revelou prejuízos na empresa

Em uma mensagem divulgada em grupos de clientes, a dona do outdoor que comparava R$ 200 mil investidos na Braiscompany com a compra de um apartamento mudou totalmente o tom.

De acordo com ela, os líderes da Braiscompany, os foragidos Antônio Neto e Fabrícia Campos, não retornaram aos seus contatos. Além disso, eles não tem colaborado com as investigações das autoridades, deixando ainda os próprios clientes sem satisfação.

Karol ainda alega que não recebe salários como broker há três meses, além da falta de repasse de rendimentos pela Braiscompany. Com a pressão das autoridades sobre a empresa e a investigação apurando o envolvimento dos brokers, ela se desligou do cargo, que um dia defendeu publicamente.

Broker da Braiscompany que divulgou empresa em outdoor se desliga da empresa, Reprodução: redes sociais.

Vai sobrar algum broker?

Com a casa da Braiscompany caindo, dia após dia, há poucos que seguem defendendo o negócio e o casal que liderava os negócios. Isso porque, desde dezembro de 2022, a empresa não honrava com os pagamentos a clientes.

A Braiscompany chegou a se dizer a maior gestora de criptomoedas do Brasil, com escritórios em várias capitais do país. Para tal expansão, ela contava com a colaboração dos brokers e gerentes, que apoiavam no recrutamento de novos clientes, peça fundamental para manter a empresa em pleno funcionamento.

Assim, não está claro se o avanço das investigações contra o negócio manterá algum broker motivado a seguir defendendo a empresa.

Nos últimos dias, um dos maiores nomes ligados a Antônio Neto, o ex-gerente Clélio Cabral, também publicou vídeos alegando que não compactua com a falta de suporte aos clientes. Após a repercussão de seus vídeos, ele tornou sua conta no Instagram privada para seus 30 mil seguidores.

Vale lembrar que, um dia antes da Operação Halving, vários brokers tiveram suas contas congeladas em bancos e corretoras, sendo alvos de buscas pela PF.

Contudo, no final de fevereiro de 2023, a própria PF liberou um formulário para que as vítimas da Braiscompany digam quem são as pessoas que apresentavam o negócio.



Fonte