MetaMask implanta serviço de identidade descentralizada via Ethereum voltado para Web3

Os desenvolvedores da carteira digital MetaMask anunciaram na última quinta-feira (23) no Twitter uma parceria com SpruceID, que é uma startup voltada à descentralização de identidade na Web3. A Spruce foi cofundada por Wayne Chang e Gregory Rocco, ex-funcionários da ConsenSys, startup desenvolvedora da MetaMask. 

Em abril do ano passado a Spruce anunciou que recebeu um aporte de US$ 34 milhões para o desenvolvimento de um conjunto de produtos voltados ao controle de acesso descentralizado dos usuários aos dados e interoperabilidade entre aplicativos Web2 e Web3. 

Related articles

“A MetaMask agora é compatível com EIP-4361, também conhecido como Sign In with Ethereum! Isso faz parte de nosso esforço contínuo para tornar as confirmações mais legíveis para nossa comunidade. Nossa implementação também oferece um recurso de ‘vinculação de domínio’, que detectará assinaturas/aprovações de URLs maliciosos”, informou a publicação. 

O Sign In with Ethereum (EIP-4361), que pode ser compreendido como “entrar na internet através da rede blockchain Ethereum”, representa uma opção de autocustódia para os usuários que desejam assumir controle e responsabilidade sobre suas identidades digitais. 

Em outras palavras, o EIP-4361 representa uma alternativa aos problemas tradicionais de identidade centralizada, como violação de dados e falta de controle dos usuários, decorrentes das contas criadas pelos usuários em grandes corporações para acessarem serviços na Web. 

Com a implementação do Sign In with Ethereum, a MetaMask passa a analisar as mensagens de assinatura patronizadas para fornecer um formato mais amigável aos usuários, solicitando sign in em vez de assinatura de mensagem.

Imagem: Divulgação/Spruce

“Este é um avanço para a segurança do usuário na Web3, onde os usuários anteriormente poderiam ser facilmente confundidos sobre se estavam entrando em um serviço ou autorizando um ator mal-intencionado a transferir ativos de sua conta. Agora, na Metamask, os usuários podem esperar ver um botão “Entrar” e uma experiência de usuário muito mais semelhante ao que esperariam de um aplicativo Web2”, informou a Spruce.  

Em relação à vinculação de domínio, outra característica da integração da MetaMask à Web3, o objetivo é “garantir que os usuários não sejam vítimas de ataques de phishing quando os sites solicitam que os usuários façam login, mas a mensagem não corresponde ao site em que eles estão.”

Imagem: Divulgação/Spruce

Nesse caso, a Spruce informou que “o usuário receberá um aviso e deverá selecionar explicitamente para seguir em frente, aceitando os riscos de um possível ataque de phishing.” 

Em busca de novos validadores, a MetaMask Institutional anunciou esta semana a introdução de um mercado de staking individual de ETH, conforme noticiou o Cointelegraph.

LEIA MAIS:



Fonte