Investidores desesperados despejam USDC após banco fechar e corretoras suspendem saques

USDC em queda

Related articles

Investidores desesperados estão despejando a criptomoeda USDC, a segunda maior stablecoin do mercado, depois que a Circle, emissora da moeda, disse que parte de suas reservas eram mantidas no Silicon Valley Bank (SVB), banco americano que foi fechado na sexta-feira (10).

O token USDC, que tem seu preço lastreado no dólar americano, perdeu a paridade com o dólar e despencou 8% na manhã deste sábado (11), com sua capitalização caindo abaixo de US$ 40 bilhões.

USDC em queda

Os despejos de USDC começaram em plataformas de finanças descentralizadas (DeFi), conforme visto na maior pool da stablecoin da Curve Finance, e se espalharam para as maiores corretoras do mercado, Binance e Coinbase.

O que aconteceu com a USDC?

O preço do USDC começou a cair devido à preocupação de que a Circle tem reservas de caixa no banco Silicon Valley, que foi fechado na sexta-feira pelo regulador financeiro da Califórnia.

O problema começou quando o banco foi forçado a vender seus títulos do Tesouro dos EUA de longo prazo com prejuízo. O Silicon Valley Bank vinha usando fundos de clientes para comprar títulos de longo prazo do governo americano que pretendia manter até o vencimento para um retorno pequeno.

Mas, para atender às demandas de saques dos clientes, o SVB teve que vender esses títulos com prejuízo. Isso significava que os ativos do banco valiam menos quando  os comprou. Resultando em um prejuízo de US$ 1,8 bilhão.

Em documentos publicados pela Circle em março, a emissora da USDC revelou que parte de seus US$ 9,88 bilhões em reservas de caixa era mantida no Silicon Valley Bank.

Após o colapso do banco, as vendas e saques de USDC aumentaram, com a plataforma de inteligência Nansen mostrando mais de US$ 1 bilhão em vendas da stablecoin desde o fechamento do banco.

Com o USDC perdendo paridade com o dólar e sendo negociado abaixo de 0,90 centavos, a Circle tentou acalmar os investidores, dizendo que continuaria a operar normalmente, compartilhando que o banco era um dos seis parceiros bancários, com 25% de suas reservas.

O diretor de estratégia da Circle, Dante Disparte, twittou logo depois que a Circle estava protegendo o USDC “de uma falha de cisne negro no sistema bancário”.

O termo “Cisne Negro” é usado para descrever um acontecimento inesperado e raro, quase impossível de prever e dificilmente mitigável. De acordo com Nassim Taleb, autor do termo, “eventos Cisne Negro” são impossíveis de prever e têm consequências catastróficas.

O comunicado da Circle não conseguiu acalmar os investidores, que continuaram vendendo USDC em massa, como resultado, a Binance anunciou que suspenderia temporariamente sua política de conversão automática do USDC para sua stablecoin BUSD, citando “condições de mercado” e descrevendo a ação como uma “etapa processual normal de gerenciamento de risco”.

Após o anúncio da Binance, que é a maior corretora de criptomoedas do mundo, a Coinbase, maior corretora dos Estados Unidos, também disse que suspenderia a conversão de USDC para USD temporariamente.

“Durante os períodos de maior atividade, as conversões dependem de transferências em dólares dos bancos que são compensadas durante o horário bancário normal”, disse a Coinbase, sem citar explicitamente o Silicon Valley Bank, e acrescentando que as conversões voltarão a funcionar na segunda-feira, quando os bancos reabrirem.



Fonte