Dogecoin atinge mínimas de 4 meses contra o Bitcoin – Alta de 50% está em jogo para o DOGE

Related articles

O Dogecoin (DOGE) reduziu algumas perdas contra o Bitcoin (BTC) em 10 de março, um dia depois que o par DOGE/BTC caiu para seu nível mais baixo desde outubro de 2022. O preço do DOGE pode ver uma recuperação estendida à frente?

No gráfico diário, o par DOGE/BTC atingiu 331 sats, uma alta de 4,75% em relação à mínima do dia anterior de 316 sats. A recuperação ocorreu em torno de uma linha de tendência descendente de vários meses, que limitou os movimentos negativos do par desde novembro de 2022.

Gráfico diário DOGE/BTC. Fonte: TradingView

Preço do Doge contra o Bitcoin

Curiosamente, a linha de tendência descendente do par DOGE/BTC parece fazer parte de um padrão de cunha descendente predominante. Especialistas em análise técnica consideram a cunha descendente uma configuração de reversão de alta, principalmente por causa da taxa de sucesso de 62% do padrão em atingir seus alvos de preço de alta.

No caso do Dogecoin, o preço está oscilando em torno do ponto de ápice da cunha descendente, onde sua linha de tendência superior e inferior convergem. A última recuperação do DOGE da linha de tendência inferior aumenta sua possibilidade de testar a linha de tendência superior em direção a um rompimento, conforme ilustrado no gráfico abaixo.

Gráfico diário DOGE/BTC com rompimento de cunha descendente. Fonte: TradingView

A configuração de alta mostra ainda mais consistência por conta do índice de força relativa (RSI) do par DOGE/BTC no gráfico diário com uma leitura de cerca de 28 pontos. Do ponto de vista da análise técnica, um RSI abaixo de 30 significa que o par está sobrevendido, o que pode fazer com que seu preço se consolide lateralmente ou recupere.

No caso de um rompimento, o par DOGE/BTC pode subir para 500 sats até abril, uma alta de 50% em relação aos seus níveis de preços atuais. O alvo de alta é medido após adicionar a distância máxima entre a linha de tendência superior e inferior da cunha descendente em relação ao ponto de ruptura.

Uma queda decisiva abaixo da linha de tendência inferior da cunha descendente, no entanto, corre o risco de invalidar toda a configuração de alta. Nesse caso, o DOGE pode cair para 280 sats, um nível de suporte histórico, cerca de 13% abaixo dos níveis de preços atuais

Tal cenário é possível devido à falha do Dogecoin em confirmar um padrão de cunha descendente semelhante em março de 2022. Na ocasião, o par DOGE/USD quebrou abaixo da linha de tendência inferior e uma desvalorização de 50% veio logo a seguir.

Qual o destino do preço do DOGE?

Dogecoin ainda pode cair em sua cotação em dólares, no entanto, em grande parte devido ao aumento das incertezas no cenário macroeconômico.

Nos últimos anos, o preço do Dogecoin subiu principalmente após manifestações de apoio de Elon Musk ao token, incluindo a possibilidade de utilizá-lo como um meio de pagamento no Twitter.

No entanto, Musk disse em 3 de março que mudaria seu foco de atenção das criptomoedas para a inteligência artificial. O empresário bilionário não mencionou o Dogecoin especificamente, mas muitos interpretaram que Musk pode se distanciar da indústria.

“Eu estava ligado nas criptomoedas, mas agora estou interessado em IA”

—Elon Musk (@elonmusk)

O preço do Dogecoin caiu mais de 20%, para US$ 0,06, desde a manifestação de Musk. Além disso, do ponto de vista da análise técnica, o preço do DOGE está posicionado para cair mais 10% nas próximas semanas, com um novo teste de um antigo nível de suporte em torno de US$ 0,055-0,042.

Gráfico semanal DOGE/USD. Fonte: TradingView

Por outro lado, um salto a partir dessa faixa de suporte pode fazer com que a alta de preços do DOGE teste a linha de tendência superior do triângulo em torno de US$ 0,076, resultando em ganhos de aproximadamente 15% em relação aos níveis de preços atuais.

Este artigo não contém conselhos ou recomendações de investimento. Todo movimento de investimento e negociação envolve riscos, e os leitores devem conduzir suas próprias pesquisas ao tomar uma decisão.

LEIA MAIS



Fonte