BTC deixará definitivamente para trás o mercado de baixa? 5 coisas para saber sobre o Bitcoin esta semana

Related articles

O Bitcoin (BTC) entra na última semana de março em território incerto. Apesar do forte fechamento semanal os US$ 30.000 ainda permancem fora de alcance.

A maior criptomoeda do mercado selou sete dias de desempenho praticamente estável no final do domingo, apesar de ter experimentado alguma volatilidade enquanto o mercado busca uma nova direção. Onde o preço do BTC poderá ir a seguir?

No que foi uma semana de mais surpresas da macroeconomia, o par BTC/USD passou muito tempo reagindo às decisões do Banco Central dos Estados Unidos (Fed) e comentários associados à política monetária e a crise dos bancos nos EUA e na Europa.

Em seguida, no entanto, veio um período de relativa calma, seguido por um fechamento mensal chave, que alguns analistas acreditam que que pode decretar o início de uma nova tendência de alta.

Atualmente, o Bitcoin acumula alta de 20% em março, o que significa que os próximos dias decidirão a força da recuperação contínua das mínimas de vários anos.

O Cointelegraph analisa cinco tópicos a serem observados durante a última semana de um mês bastante volátil.

Contagem regressiva para o fechamento mensal do Bitcoin

O Bitcoin conseguiu fechar a semana com um modesto floreio, retornando à marca de US$ 28.000, mostram dados do Cointelegraph Markets Pro e da TradingView.

Gráfico semanal BTC/USD (Binance). Fonte: TradingView

Isso significa que o par BTC/USD permaneceu praticamente inalterado em relação ao fim de semana anterior, apresentando uma estabilidade impressionante, apesar dos períodos de volatilidade que ocorreram no período intermediário.

No entanto, estão surgindo preocupações de que o mercado pode ter dificuldades para preservar os níveis atuais.

Em uma nova análise divulgada em 27 de março, a popular conta do Twitter IncomeSharks sinalizou o volume de balanço (OBV) como um sinal revelador de diminuição do impulso de alta.

“É difícil ignorar o fraco OBV na resistência, o preço na resistência e a falta de demanda a esses preços”, comentou apresentando um gráfico.

“Se cairmos, teremos uma nova onda de demanda de compra que deve nos empurrar para cima. A única maneira de subirmos daqui é com grandes notícias positivas nos mercados ou outro short squeeze.”

Gráfico anotado BTC/USD. Fonte: IncomeSharks/ Twitter

O trader e analista Rekt Capital concordou que uma retração seria “saudável” para o Bitcoin.

“Se o BTC continuar lutando para ultrapassar US$ 28.700, pode ser necessário uma queda saudável para gerar um novo interesse dos compradores em níveis mais baixos”, ele escreveu.

“A análise técnica está demostrando alguma fraqueza de curto prazo e pode ser que um catalisador apareça em breve para eliminar essa fraqueza.”

No fim de semana, Rekt Capital sinalizou um determinado suporte de preço como uma área crítica a ser observada enquanto permanecia otimista sobre a tendência de longo prazo.

O par BTC/USD, previu ele, “confirmará” o fim do mercado de baixa no final de março, desde que o fechamento mensal preserve a média móvel de 200 semanas (WMA) como suporte.

A 200WMA atualmente está em torno de US$ 25.500, dando aos touros espaço para uma queda modesta.

O #BTC quebrou acima da MA de 200 semanas

No entanto, este nível não foi tecnicamente recuperado como suporte

Se o $BTC cair em breve, o preço pode retestar novamente a MA de 200 semanas como suporte

O novo teste bem-sucedido confirmaria totalmente a fuga além do MA de 200 semanas #Crypto #Bitcoin

— Rekt Capital (@rektcapital) 

Da mesma forma, porém atento a prazos mais curtos, o trader Crypto Tony observava US$ 27.700 e US$ 26.600 como suportes a serem sustentados em nome da confirmação da tendência de alta atual.

“Ainda temos que perder o EQ em $ 27.700 em um período de 4 horas, para que os tweets do dia do juízo final possam ser pausados”, resumiu, referindo-se ao ponto em uma faixa em que a pressão de compra e venda está equilibrada.

“A faixa mínima de US$ 26.600 precisa ser perdida para iniciar uma posição de hedge vendida para mim.”

Gráfico anotado BTC/USD. Fonte: Crypto Tony/ Twitter

Dados do PCE em foco enquanto SVB é comprado

Ao contrário da semana passada, os últimos dias de março não devem trazer surpresas no que diz respeito à economia dos EUA.

Isso não quer dizer que não possam surgir pedras no meio do caminho, mas o que resta do mês é comparativamente tranquilo em termos de divulgação de dados macroeconômicos.

Principais eventos macroeconômicos da semana que vem:

️ Quinta-feira, 30 (UTC)
12h30 — Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA
12:30 – Reivindicações de seguro desemprego nos EUA

• PIB esperado nos mesmos 2,7%
• Reivindicações de desemprego esperadas em 196K de 191K

Sexta-feira, 31 (UTC)
12:30 – Núcleo PCE dos EUA…

— Lambda (@lambdamarkets1) 

A única exceção importante pode ser a divulgação em 31 de março do Índice de Despesas de Consumo Pessoal (PCE), que contém informações cruciais sobre as tendências da inflação nos EUA.

“Os números da inflação do PCE dos EUA serão divulgados esta semana – no mês passado, esses dados causaram um movimento volátil de menor risco”, comentou o comentarista de mercados Tedtalksmacro.

“No entanto, espera-se que o núcleo do PCE deste mês esfrie para +4,4% em relação ao ano anterior, abaixo dos +4,7% anteriores. Isso seria um risco positivo.”

Se o Bitcoin reagir a eventuais dados do PCE fora das expectativas do mercado, os resultados podem provocar volatilidade no fim de semana apenas um dia antes do fechamento mensal.

Quaisquer novos desdobramentos na crise bancária em curso adicionariam incerteza ao cenário. E esse risco existe – o contágio permanece na Europa, enquanto o extinto Silicon Valley Bank (SVB) encontrou um comprador da noite para o dia.

AGORA: O First Citizens concorda em comprar o Silicon Valley Bank por US$ 500 milhões.

Há apenas um ano, o SVB valia quase US$ 40 bilhões e operava como o 14º maior banco dos EUA.

Há um mês, o First Citizens tinha metade do tamanho do SVB.

Isso mostra a rapidez com que o SVB entrou em colapso.

— The Kobeissi Letter (@KobeissiLetter)

Tendo aumentado as taxas de juros apesar da crise, o Fed está em uma encruzilhada, e novas altas podem ocorrer, diz. Em contraste, os mercados têm opinião oposta devido ao estresse já induzido pelos recorrentes aumentos anteriores dos juros.

“Condições financeiras muito mais apertadas e sinais contínuos de estresse bancário são os principais motivos pelos quais o mercado acredita que o Fed será forçado a abandonar seus planos”, explicou a plataforma de análise Mosaic Asset na última edição de sua série de atualizações, “The Market Mosaic”, em 26 de março.

A Mosaic alertou ainda que, historicamente, os ativos de risco tiveram um desempenho pior imediatamente após a notícia de um pivô do Fed.

“Se o Fed interromper a política de aumento de juros, isso sinalizará que há preocupações crescentes de que o banco central está quebrando algo nos mercados de capitais. Mas considere também que o Fed tem um histórico de ajustar sua política apenas quando é tarde demais”, continuou.

Acrescentou ainda que, “como resultado, nos mercados de baixa anteriores, os declínios mais acentuados do mercado de ações ocorreram depois que o Fed fez uma pausa ou cortes definitivos nas taxas”.

Hodlers do BTC promovem choque de oferta

Os hodlers de Bitcoin estão estabelecendo novos recordes nas condições atuais e lançando as bases para um futuro choque de oferta.

Os dados mais recentes da Glassnode, empresa de análise on-chain, mostram que a quantidade do suprimento de BTC disponível que não sai da carteira dos hodlers há dois anos ou mais, está agora em níveis recordes.

Em 27 de março, mais de 52,5% de todo o BTC minerado permanecia inativo desde pelo menos março de 2021. Os proprietários não venderam ou transferiram suas moedas nem mesmo durante o mercado de baixa que se seguiu.

Gráfico de Bitcoin inativo por mais de 2 anos. Fonte: Glassnode/ Twitter

Os números de endereços também estão no “modo somente para cima”, com o número de carteiras contendo 0,1 BTC ou mais estabelecendo novos recordes.

Da mesma forma, carteiras com saldo diferente de zero são mais abundantes do que nunca. Havia 45.388.865 nesta segunda-feira, 27 de março.

Gráfico de carteiras de Bitcoin com saldo diferente de zero. Fonte: Glassnode/ Twitter

Os números dão força a uma narrativa em voga sobre o que acontecerá com a ação de preço do BTC durante a próxima onda de interesse do grande público.

Com grande parte da oferta agora está armazenado em carteiras frias – e portanto indisponíveis para negociação imediata –, qualquer corrida pelo BTC pode desencadear a percepção de que se trata de um dos ativos mais escassos do mundo.

De acordo com dados da Glassnode, o saldo geral do BTC mantido pelas principais exchanges permanece próximo ao nível mais baixo em cinco anos.

Gráfico do saldo de BTC nas exchanges. Fonte: Glassnode

Bitcoin oferece timing perfeito

Para alguns comentaristas, a ação de preço do BTC está no caminho certo para repetir os ciclos anteriores, estabelecendo um novo recorde histórico no processo.

Tedtalksmacro é um daqueles que compartilha dessa opinião, observando que o momento das baixas plurianuais registradas em novembro do ano passado pelo BTC foi mais ou menos perfeito.

Desde então, um rali que começou em janeiro permaneceu, e ainda não há sinais de que novas mínimas macro aparecerão para afundar o piso de US$ 15.600 estabelecido em novembro de 2022.

“Aproximadamente 390 dias até o próximo halving do BTC”, escreveu Tedtalksmacro em 27 de março, em uma thread dedicada ao desempenho do Bitcoin no final de janeiro.

Aproximadamente 390 dias até o próximo halving do BTC

— tedtalksmacro (@tedtalksmacro) 

O preço do BTC está, portanto, aderindo ao precedente histórico de atingir o fundo do ciclo em torno de 400 dias antes de seu próximo halving.

Tedtalksmacro, por sua vez, não é o único comentarista popular que leva em consideração o tempo do ciclo do halving quando se trata da ação de preço.

No início deste mês, Rekt Capital estimou que a próxima alta histórica deve ocorrer em cerca de 18 meses.

“Leva cerca de 900 dias para o BTC subir da tendência de baixa para o topo do mercado de alta”, explicou ele.

“Se a história se repetir, o $BTC atingirá um novo topo histórico no verão de 2025.”

Gráfico anotado BTC/USD. Fonte: Rekt Capital/ Twitter

Sentimento do mercado cripto permanece em modo de “ganância”

Como na semana passada, um potencial espinho ameaça a tendência de alta atual do Bitcoin, que vem dos próprios investidores.

Apesar da volatilidade logo após o novo aumento da taxa de juros do Fed e a incapacidade de chegar perto de US$ 30.000, o Bitcoin não experimentava esse tipo de sentimento desde suas máximas históricas no final de 2021.

De acordo com o Índice de Medo e Ganância de Criptomoedas, a “ganância” atualmente caracteriza o sentimento do mercado  cripto de forma mais ampla.

Em 21 de março, a pontuação do Índice atingiu 68/100, a maior desde novembro de 2021, e continua girando em torno de 60 anos desde então.

Embora não esteja perto de níveis “extremos”, quanto mais alto o índice, mais provável é que ocorra uma correção do mercado.

Índice de Medo e Ganância de Criptomoedas (captura de tela). Fonte: Alternative.me

As visões, pensamentos e opiniões expressas aqui são exclusivas dos autores e não necessariamente refletem ou representam as visões e opiniões do Cointelegraph.

LEIA MAIS



Fonte