Binance viu saques de US$ 850 milhões antes da acusação da CFTC, apontam dados

Pouco antes da exchange cripto Binance e seu CEO Changpeng Zhao serem acusados de violações regulatórias pela Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) dos Estados Unidos, quase um bilhão de dólares em cripto supostamente deixaram as carteiras da plataforma.

De acordo com a pesquisa de dados da Thanefield Capital, fundos substanciais foram retirados algumas horas antes da acusação da Binance CFTC, que ocorreu na segunda-feira, 27 de março, às 15h UTC. Nas 12 horas anteriores à acusação, quase US$ 1,5 bilhão deixou plataformas como Binance, Kraken, Coinbase e Bitfinex. Mais da metade, ou US$ 850 milhões, foi retirado da Binance.

Apenas uma hora após o anúncio, a Binance viu um saque adicional de US$ 240 milhões. De acordo com os dados de Nansen, nas últimas 24 horas, mais de US$ 400 milhões foram sacados em fundos baseados em Ethereum.

No entanto, a Binance ainda detém US$ 63,36 bilhões em ativos de criptomoeda, incluindo mais de US$ 2 bilhões em Tether (USDT), US$ 17 bilhões em Bitcoin (BTC) e US$ 8,1 bilhões em Ether (ETH).

A CFTC entrou com uma ação contra Binance e Zhao no Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Norte de Illinois. De acordo com a Comissão, que investiga os negócios da Binance desde 2021, a empresa não cumpriu suas obrigações regulatórias ao não se registrar adequadamente no regulador de derivativos. A Binance supostamente realizou transações em Bitcoin, Ether e Litecoin (LTC) para cidadãos dos EUA desde pelo menos 2019.

A maior exchange de criptomoedas do mundo também foi investigada pela Receita Federal e promotores federais, que examinaram sua adesão às regras de combate à lavagem de dinheiro. A Comissão de Valores Mobiliários conduziu sua própria investigação para saber se a Binance permitia que traders dos EUA acessassem títulos não registrados.

Zhao já rejeitou as alegações da CFTC, argumentando que a exchange de criptomoedas “não negocia com fins lucrativos ou ‘manipula’ o mercado sob nenhuma circunstância”.

VEJA MAIS:



Fonte

Related articles