Binance fecha parceria e leva criptomoedas para universidade na Colômbia

A maior corretora de criptomoedas do mundo, a Binance segue se aproximando da América Latina, agora fechando uma importante iniciativa educacional com uma universidade da Colômbia.

A Universidad de los Andes (Uniandes) é a nova parceira da Binance Academy, divisão que leva conhecimento sobre as criptomoedas. O mundo conheceu os detalhes da parceria no dia 22 de fevereiro.

Com isso, fica claro que o ensino superior em universidades latinas mostram interesse no mercado de criptomoedas.

Binance Academy quer capacitar professores da universidade da Colômbia em criptomoedas

Em nota ao público, a Binance Colômbia deixa claro que a iniciativa promissora deve capacitar não apenas os alunos da Uniandes, mas também os professores. A expectativa da corretora envolve apresentar conceitos de blockchain e Web3, termos em alta nos últimos anos.

“Binance Colômbia assina acordo com a Universidad de los Andes, uma das maiores universidades da região A partir desta colaboração, trabalharemos com Uniandes para criar uma série de programas educacionais para alunos e professores aprenderem sobre Blockchain e Web3!”

Ao ver a publicação da Binance, o próprio CEO da corretora, CZ, declarou que a educação é um passo importante de sua empresa.

Related articles

Vale lembrar que a Binance não divulgou por quanto tempo a parceria deve durar, nem quantas pessoas poderão participar dos treinamentos.

Mesmo assim, mostra que segue interessada em levar o conhecimento do mercado de criptomoedas a mais pessoas. Recentemente, na própria Colômbia, a Binance patrocinou um evento que contou até com a participação de um delegado brasileiro especialista em criptomoedas.

Mercado da Colômbia gosta das criptomoedas

O mercado de criptomoedas na Colômbia tem crescido nos últimos anos, com um aumento significativo no interesse e adoção desses ativos digitais pela população colombiana. Embora ainda seja um mercado relativamente novo, a Colômbia tem sido uma das principais nações da América Latina no que diz respeito ao uso de criptomoedas.

O uso de criptomoedas na Colômbia é motivado por uma série de fatores, incluindo a falta de confiança no sistema bancário tradicional, a necessidade de enviar e receber dinheiro internacionalmente e a possibilidade de investir em ativos alternativos.

Além disso, a Colômbia tem visto um aumento no número de empresas que aceitam criptomoedas como forma de pagamento, incluindo lojas, restaurantes e empresas de turismo. Isso sugere que a adoção de criptomoedas está se tornando cada vez mais conhecida na Colômbia.

Por fim, um estudo de 2022 da Chainalysis coloca o país como terceiro maior em adoção de criptomoedas na América Latina, perdendo apenas para o Brasil e Argentina.



Fonte