touros tentam mais uma vez romper com US$ 25 mil e BTC acumula alta de 15%

A principal criptomoeda do mercado, o Bitcoin (BTC), está cotada na manhã desta segunda-feira, 20/02/203, em R$ 128.843,41. Os touros buscam mais uma vez romper com o nível de US$ 25 mil e transformar a resitência em suporte e com isso acumula um alta de 15% ao longo dos últimos 7 dias.

Embora os touros ainda não tenham obtido sucesso com sua tarefa de criar um novo suporte em US$ 25 mil eles tiveram sucesso em manter US$ 23 mil como suporte, o que indica que os ursos estão enfraquecidos no curto prazo, liberando os touros para um movimento de alta mais ousado.

Joe DiPasquale, CEO da BitBull Capital, gestora de fundos de criptomoedas, diz que US$ 23.000 é o novo nível de suporte do bitcoin e a próxima semana é crítica se o BTC atingir US$ 30.000.

“Com fevereiro chegando ao fim, outro fechamento mensal de alta pode ser o que o mercado precisa para o Bitcoin testar níveis acima de US$ 30.000.”, destacou.

Portanto, o preço do Bitcoin em 20 de fevereiro de 2023 é de R$ 128.843,41.

US$ 25 mil é o ponto de mudança

Uma análise da bybit, compartilhada com o Cointelegraph, destaca que na semana passada, nem mesmo os dados ruins do Índice de Preços ao Produtor (PPI), um indicador de inflação que mede a variação nos preços médios recebidos pelos produtores americanos de bens e serviços, foi suficiente para frear o ímpeto dos touros que conseguiram manter o valor do BTC entre US$ 23 mil e US$ 24 mil. 

Segundo a empresa, nesta semana, os touros começam firmes e fortes em sua tarefa de romper com o nível de US$ 25 mil. Nos últimos 7 dias foram 3 tentativas de rompimento, sendo que, em uma delas, em 19 de fevereiro, o rompimento foi alcassado, porém a força vendedora logo devolveu a alta e o BTC retornou para US$ 23 mil logo em seguida.

“Transformar US$ 25 mil de resistência em suporte seria extremamente positivo para o lado comprador e levaria o BTC facilmente para US$ 26 mil e depois para US$ 28 mil e, ao longo da semana, a testar US$ 30 mil, nível que deve atuar como topo deste rali de curto prazo. Ajudando os touros nesta tarefa há diversos indicadores, sendo um dos principais vindo dos mineradores de Bitcoin”, afirma a bybit.

A empresa aponta que dados da Glassnode mostram que os mineradores pararam de vender seus Bitcoins e estão em um período de acumulação, indicando um forte sentimento de médio e longo prazo. Além disso, recentemente, o hashrate que bateu uma nova alta histórica em 399 ETH/s, outro sinal positivo de que os mineradores acreditam na força dos touros e já se preparam para lucrar no halving do próximo ano.

“O movimento atual é muito semelhante a outros ciclos do BTC no passado, no qual o período de venda dos mineradores coincidiu com uma queda drástica no preço do BTC e depois, a começo da acumulação dos mineradores resultou em uma recuperação e logo depois em um período de alta marcando o fim do bear market.  Os dados apontam para uma repetição deste ciclo”, afirmou

No entanto, segundo a bybit, os ursos não devem dar descanso para os touros e tentaram evitar a todo custo um rompimento de US$ 25 mil, pois sabem que uma quebra no indicador libera a estrada para US$ 30 mil. Deste modo podemos esperar os ursos armando uma armadilha em US$ 25 mil, permitindo o rompimento para, logo depois, baixar o preço para US$ 23 mil como ocorrido na semana passada.

“Se obtiverem sucesso em seu movimento, então os touros podem mostrar exaustão e, com isso, o BTC pode retroceder para US$ 22 mil e marcando um possível fundo entre US$ 21 mil e US$ 20 mil. Os níveis a serem observados na semana estão em US$ 25 mil e, logo depois, em US$ 28 e US$ 30 mil. Em um cenário extremamente otimista, um rompimento em US$ 25 mil e depois em US$ 30 mil pode levar o BTC para US$ 32 mil. No lado negativo, os ursos não têm muitas vantagens na semana e, no máximo, podem levar o BTC para US$ 21 mil.”, finaliza.

O que é Bitcoin?

O que é Bitcoin? O Bitcoin (BTC) é uma moeda digital, que é usada e distribuída eletronicamente. O Bitcoin é uma rede descentralizada peer-to-peer. Nenhuma pessoa ou instituição o controla.

O Bitcoin não pode ser impresso e a sua quantidade é muito limitada – somente 21 milhões de Bitcoins podem ser criados. O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador ou um grupo de programadores anônimo sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2009.

Houve muitos rumores sobre a identidade real do criador do BTC, entretanto, todas as pessoas mencionadas nesses rumores negaram publicamente ser Nakamoto.

O próprio Nakamoto afirmou ser um homem de 37 anos que vive no Japão. No entanto, por causa de seu inglês perfeito e seu software não ter sido desenvolvido em japonês, há dúvidas razoáveis sobre essas informações. Por volta da metade de 2010, Nakamoto foi fazer outras coisas e deixou o Bitcoin nas mãos de alguns membros proeminentes da comunidade BTC.

Para muitas pessoas, a principal vantagem do Bitcoin é sua independência de governos mundiais, bancos e corporações. Nenhuma autoridade pode interferir nas transações do BTC, impor taxas de transação ou tirar dinheiro das pessoas. Além disso, o movimento Bitcoin é extremamente transparente – cada transação única é armazenada em um grande ledger (livro-razão) público e distribuído, chamado Blockchain.

Essencialmente, como o Bitcoin não é controlado como uma organização, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. A rede Bitcoin compartilha de um ledger público chamado “corrente de blocos” (block – bloco, chain – corrente). Esse ledger contém todas as transações processadas. Os registros digitais das transações são combinados em “blocos”. 

Se alguém tentar mudar apenas uma letra ou número em um bloco de transações, também afetará todos os blocos que virão a seguir. Devido ao fato de ser um ledger público, um erro ou uma tentativa de fraude podem facilmente ser detectados e corrigidos por qualquer pessoa.

A carteira do usuário pode verificar a validade de cada transação. A autenticidade de cada transação é protegida por assinaturas digitais correspondentes às dos endereços de envio.

Devido ao processo de verificação e, dependendo da plataforma de negociação, pode levar alguns minutos para que uma transação BTC seja concluída. O protocolo Bitcoin foi projetado para que cada bloco leve cerca de 10 minutos para ser minerado.

LEIA MAIS

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletidas nas posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar uma decisão

Fonte

Related articles