Provas de conhecimento zero chegam ao Bitcoin e reformulam processo de validação do estado da rede

Os usuários de Bitcoin (BTC) em breve poderão usar provas de conhecimento zero (ZK-proofs) para agilizar o processo de verificação de blocos individuais e, eventualmente, todo a blockchain.

A ZeroSync Association, uma organização sem fins lucrativos com sede na Suíça, está desenvolvendo ferramentas que permitem aos usuários validar o estado da rede Bitcoin sem precisar baixar a blockchain inteira ou confiar em terceiros para verificação.

A ZeroSync foi formada para desenvolver e manter software de código aberto que permita provas sucintas de conhecimento zero na blockchain do Bitcoin. O grupo usa as provas de validade do argumento de conhecimento transparente escalonável de conhecimento zero (zk-STARK) proprietárias da StarkWare para gerar provas ZK para a rede do Bitcoin.

A ferramenta promete reformular o processo de verificação da blockchain do Bitcoin, que ainda exige que os operadores de nó baixem uma grande quantidade de dados para sincronizar o estado correto da rede Bitcoin.

A ZeroSync está usando provas de conhecimento zero para eventualmente gerar provas válidas e verificar o estado mais recente da blockchain quase instantaneamente.

Provas de conhecimento zero têm sido utilizadas no ecossistema da Ethereum. Várias plataformas que proveem soluções de escalabilidade de camada 2, incluindo Polygon, Arbitrum, Optimism e StarkNet, estão desenvolvendo sistemas baseados em ZK-proofs.

Um anúncio da Associação ZeroSync destaca o potencial que provas de conhecimento zero têm incrementar a escalabilidade e a privacidade de redes blockchain, fornecendo provas de “tamanho quase fixo” capazes de verificar grandes cálculos.

O projeto é pioneiro na aplicação de provas de conhecimento zero para a rede do Bitcoin. A organização responsável descreve a relativa simplicidade da rede do Bitcoin e do modelo de Unspent Transaction Output (UTXO) como uma proposta de valor única para a aplicação de provas recursivas.

A ZeroSync observa que as ferramentas de prova de conhecimento zero não requerem mudanças no mecanismo de consenso da rede ou camadas de confiança adicionais para a rede Bitcoin e seus usuários. A organização está construindo um kit de desenvolvimento de software que permitirá aos desenvolvedores gerar provas de validade personalizadas para casos de uso específicos sem a necessidade de conhecimento profundo sobre o assunto.

A ZeroSync está em processo de construção de um cliente para download de bloco inicial rápido, bem como implementando a primeira prova completa do consenso do Bitcoin. O cliente permitirá que os usuários sincronizem um nó completo sem fazer alterações de código no Bitcoin Core.

ZeroSync está usando a linguagem de programação Cairo, pioneira da StarkWare, para criar programas STARK para cálculos.

A ferramenta do ZeroSync está atualmente em um estado de protótipo, mas tem a capacidade de provar a validade de blocos válidos individuais assumidos, que verificam todas as regras do Bitcoin, exceto os scripts. A equipe também possui um verificador de demonstração no navegador para provas STARK de blocos do Bitcoin.

A ZeroSync Association foi inicialmente financiada pela Geometry e pela StarkWare, mas está estabelecendo uma entidade sem fins lucrativos para permitir o desenvolvimento e a manutenção contínuos de partes interessadas na comunidade do Bitcoin.

Uma declaração do presidente e cofundador da StarkWare, Eli Ben-Sasson, que co-inventou o zk-STARKS, resumiu a magnitude da chegada das provas de conhecimento zero ao ecossistema do Bitcoin:

“Após anos de frustração com a sincronização lenta, os usuários poderão sincronizar com a rede muito mais rapidamente e com menos poder computacional. É um salto tecnológico semelhante à transição da lentidão da internet discada para a banda larga de alta velocidade.”

O Lightning Labs, a equipe por trás da Lightning Network, sistema de pagamento de camada 2 do Bitcoin, é um dos parceiros e colaboradores da ZeroSync no projeto.

A empresa pretende usar o ZeroSync para alimentar provas de histórico de transações compactadas para seu protocolo Taproot Asset Representation Overlay (Taro), que visa oferecer suporte para a emissão de ativos digitais na blockchain do Bitcoin.

LEIA MAIS

Fonte

Related articles