Juiz determina prisão dos donos da Braiscompany e solicita aviso à Interpol

Mandado prisão Antônio Neto Ais Frabricia Ais. Imagem: Cógenes Lira

Related articles

O juiz Vinício Costa Vidor, da 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande, determinou nesta sexta-feira (24), mandados de prisão preventiva contra Antônio Neto Ais e Fabrícia Farias Campos, donos da Braiscompany, empresa investigada por esquema de pirâmide financeira.

Magistrado também solicitou que a Polícia Federal na Paraíba envie aviso para a Interpol, a polícia internacional. Com isso, Antônio Neto e Fabrícia passam a ser procurados no mundo inteiro.

“Adote a Secretaria as diligências necessárias à expedição dos mandados de prisão e de sua inclusão em difusão vermelha, encaminhando, em seguida, o conjunto de documentos à Superintendência da Polícia Federal na Paraíba para solicitação da difusa à Interpol”, versa trecho do mandado.

Contra o casal já há um pedido de prisão temporário, no âmbito da Operação Halving, que investiga crimes contra o sistema financeiro supostamente praticados pela Braiscompany.

“Dessa forma, estando presentes os requisitos do art. 312, parágrafo único, c/c 313, I, do CPP, acolho a representação do MPF e decreto a prisão preventiva dos investigados Antônio Inácio da Silva Neto e Fabrícia Farias Campos”, diz trecho do mandado.

Mandado prisão Antônio Neto Ais Frabricia Ais. Imagem: Cógenes Lira

Donos da Braiscompany podem estar escondidos na Argentina

Antônio Neto Ais desativou a localização de seu perfil no Instagram, após dispositivo da rede social apontá-lo na Argentina, como revelou matéria do Paraíba Já.

Neto e sua esposa são considerados foragidos da Justiça, após não terem mandados de prisão temporária em seus nomes cumpridos pela Polícia Federal.

Não há informações do paradeiro do empresário até o momento. Entretanto, o perfil de Fabrícia Farias, sócia da empresa, ainda a localiza no Brasil.

Em grupos de Whatsapp, circulam imagens de Antônio Neto na Argentina, as imagens são datadas em 11/02/2023, poucos dias antes da operação da Polícia Federal.

Antônio Neto Ais Argentina
Antônio Neto Ais Argentina

No dia da Operação da PF, Antônio Neto Ais enviou um áudio para os funcionários da Braiscompany. Ele dizia que acordou com ligações do segurança da empresa e pediu tranquilidade, acrescentando que havia conversado com a PF e “prestado as informações necessárias.”

Neto afirmou ainda que a operação da PF era um “procedimento comum” e que a Braiscompany sempre esteve de “portas abertas aos órgãos competentes.”

A Polícia Federal disse, no entanto, que não encontrou nenhum sócio da Braiscompany no dia da operação e, portanto, ambos foram considerados foragidos.

Veja a mensagem de Antônio Neto Ais no dia da operação:


“Olá pessoal, muito bom dia, fui acordado aqui com ligações do meu jurídico, do Deivison, segurança. Hoje está tendo operação de busca e apreensão na BraisCompany, alguns de vocês podem ser chamados para depoimentos, fiquem em paz e tranquilos.

Se for chamado, vai e fecha as informações, eu e Fabrícia já fomos chamados, já prestamos as informações necessárias, entregamos a documentação necessária e só precisa falar a verdade, como trabalha, se perguntar quando começou os atrasos começou em dezembro, só a verdade não tem o que falar.

Fiquem tranquilos o jurídico já tá trabalhando. Vamos saber qual a documentações que eles querem, as informações que eles precisam entregar o que eles pedem certo. Isso já aconteceu aqui em São Paulo também nós fizemos as entregas que eles pediram e computadores de operação, então é mais um procedimento fiquem em paz.

Fiquem tranquilos. Tá bom? Já estamos trabalhando e já estamos aqui em atuação junto com o jurídico. Tá bom qualquer coisa estou à disposição de qualquer um de vocês.”



Fonte