Fundador da criptomoeda LUNA pode ficar 30 dias preso

Related articles

O fundador da criptomoeda Terra (LUNA), o sul-coreano Do Kwon, deve permanecer preso em Montenegro pelos próximos 30 dias, mesmo com apelações de urgência da Coreia do Sul e Estados Unidos.

A medida adotada pela justiça do país europeu reconhece mais uma fraude do suspeito, que tentava viajar para Dubai com passaportes falsos da Costa Rica. Autoridades costa-riquenhas confirmaram que o documento era falso e Do Kwon foi preso dentro de um jato particular no Aeroporto da capital Podgorica.

Ao que tudo indica, ele planejava continuar fugindo, ainda que a Interpol estivesse investigando sua situação, após uma fraude de bilhões de dólares pelo mundo.

Ainda preso em Montenegro, Do Kwon registrou empresa na Sérvia

Preso em Montenegro por fraude em documentação, Do Kwon atraiu a atenção de seu país natal e dos EUA, que abriu um processo criminal contra ele por várias suspeitas. Ambos os países querem sua extradição o mais rápido possível, embora sua defesa tente adiar qualquer remoção do sul-coreano.

Contudo, o que realmente chamou atenção para sua prisão em Montenegro é o fato de que Do Kwon realmente estava residindo na Sérvia.

De acordo com o DLNews, portal local de Montenegro, ele chegou a registrar uma empresa no país para continuar suas operações. E a abertura da nova companhia do ex-dono da LUNA ocorreu três semanas após ele ter seu nome incluído na lista vermelha da Interpol.

O nome da empresa, “Codokoj22 doo Beograd“, mostra que ela além de fundada por Do Kwon, também conta com Chang Joon Han, como cofundador. Chang era um executivo de uma empresa que processava pagamentos no ecossistema LUNA, sendo investigado como cúmplice das fraudes do negócio.

Empresa registrada com capital de menos de 1 euro

Funcionários do departamento de registro de empresas da Sérvia disseram para a reportagem que não sabiam da informação de que Do Kwon era procurado pela Interpol, por isso concordaram com a abertura do negócio.

Chama atenção que ele colocou como capital social do negócio 100 dinares sérvios, ou seja, menos de 1 euro, ou ainda R$ 4,18, com a cotação da moeda hoje.

O escritório de advocacia Gecic Law é o responsável por ajudar Do Kwon a registrar sua empresa. O ramo de atuação do negócio foi de consultoria e os advogados disseram que fizeram toda uma verificação do suspeito antes de registrar o negócio. Um dos advogados disse ao DLNews que o criador da LUNA não se encontra listado no site da Interpol ainda hoje, logo eles procederam com a regularização do negócio em outubro de 2022.

Suspeito de fraudes e prejuízos a diversos investidores, Do Kwon tentava seguir com negócios envolvendo criptomoedas.



Fonte