Funcionário publico é processado após ser pego minerando bitcoin ilegalmente em escola

Local onde equipamentos de minerar bitcoin estavam instaaldos

Um ex-funcionário publico da cidade de Cohasset, nos Estados Unidos, está sendo processado após ser pego roubando eletricidade de uma escola pública para minerar criptomoedas.

O homem foi identificado como responsável após uma investigação de três meses, durante a qual a polícia descobriu que equipamentos para mineração de bitcoin haviam sido instalados no forro da escola e estavam ilegalmente conectados ao sistema elétrico da instituição.

A Guarda Costeira e o Departamento de Segurança Interna auxiliaram a polícia na remoção dos equipamentos e na identificação do suspeito responsável pelas instalações.

Segundo informações da CBS, o suspeito, identificado como Nadeam Nahas, 39, roubou cerca de US $ 17.492 (R$ 90.779) em eletricidade ao longo de oito meses. Ele pediu demissão do cargo público no início de 2022, após a descoberta da operação ilegal de mineração de criptomoedas na escola.

Mais de 200 mil em equipamentos

De acordo com notícias locais, em dezembro de 2021, os funcionários da escola chamaram a polícia após encontrarem vários computadores, fios e equipamentos de ventilação dentro de um forro no prédio que abriga a Cohasset Middle and High School.

Related articles

A polícia acionou o diretor de TI da cidade, que descobriu que se tratava de uma fazenda de mineração, e os investigadores da cidade pediram a ajuda do Departamento de Segurança Interna para remover o equipamento e examiná-lo.

Na época, a polícia disse que um outro funcionário da escola descobriu a instalação em um local “remoto sob a escola”. Ele viu fios elétricos e vários equipamentos “que pareciam fora do lugar”, disse a polícia.

Nas imagens compartilhadas pela polícia é possível ver que pelo menos 10 equipamentos ASIC foram apreendidos, com cada um custando em média 20 mil reais.

Local onde equipamentos de minerar bitcoin estavam instalados. Imagem WBZ

O ex-funcionário da escola que minerava criptomoedas ilegalmente deveria ser indiciado no Tribunal Distrital de Quincy na quinta-feira (23), mas não nunca apareceu, forçando o juiz a emitir um mandado de prisão.

O homem enfrentará acusações de uso fraudulento de eletricidade e vandalismo, de acordo com o Departamento de Polícia de Cohasset.

Mineração ilegal de criptomoedas

A mineração de bitcoin é uma atividade que pode ser realizada por qualquer pessoa com um computador e acesso à internet, mas o processo exige uma grande quantidade de energia elétrica para a execução de cálculos complexos que validam as transações.

Isso significa que, em muitos casos, os mineradores precisam de acesso a uma quantidade significativa de energia elétrica para manter suas operações funcionando, o que pode levar a práticas ilegais, como roubo de energia.

Nos últimos anos, tem havido um aumento nos casos de mineração ilegal de criptomoedas em todo o mundo, muitas vezes envolvendo roubo de energia elétrica.

Em 2018, a polícia ucraniana invadiu uma fazenda de mineração de criptomoedas na cidade de Vinnytsia e apreendeu mais de 3.800 Playstations. As autoridades disseram que os vídeo-games estavam sendo usados para minerar criptomoedas e roubando eletricidade da rede pública, dando um prejuízo de até US$ 256.000 para a companhia de energia.

Na China, um homem foi preso em 2019 por roubo de energia elétrica em conexão com uma operação de mineração de criptomoedas que consumia mais de 10 vezes a quantidade de energia de um consumo normal.

No mesmo ano, a polícia espanhola prendeu um homem que havia roubado mais de US$ 259.000 em eletricidade para alimentar sua operação de mineração de criptomoedas. O homem havia montado uma fazenda de mineração em um galpão alugado e estava usando energia elétrica da rede pública sem pagar.



Fonte