cidade de São Paulo recriada no metaverso, APY de 8% na OKX e outras novidades no mercado de criptomoedas

O mercado de criptomoedas está com diversas novidades nesta semana pós-carnaval. A primeira delas é que a cidade de São Paulo ganhou uma versão digital no metaverso Upland que anunciou a venda de 25 mil terrenos da capital paulista em seu ambiente digital.

Segundo a empresa, nesta rodada inicial, o mapa metaverso de São Paulo permite que os negócios sejam realizados em apenas quatro bairros: Itaim Bibi, Liberdade, Sé e Cambuci. Este último concentra 40% das propriedades, incluindo um lote de terrenos FSA (Fair Start Act), como são chamados aqueles com valores mais baixos e direcionados aos novos jogadores.

“A abertura de São Paulo traz muitas possibilidades para empreendedores que desejam iniciar seus negócios no metaverso. E para marcas que ainda estão analisando como realizar boas ativações neste novo espaço. Lojas, experiências digitais e jogos interativos são algumas destas oportunidades. Upland vem também criando chances de transformar vidas no mundo real, unindo economia digital, inovação e ESG”, disse Ney Neto, diretor que lidera as operações de Upland na América Latina.

Nem todos os lugares icônicos que movimentam o turismo paulistano estarão à mostra neste lançamento, mas em breve os uplanders poderão comprar, visitar e interagir com estabelecimentos como Centro Cultural Banco do Brasil, Pátio do Colégio, Edifício Copan, Fiesp, Instituto Tomie Ohtake, Edifício Itália, Mosteiro de São Bento, MASP, Pinacoteca, Teatro Municipal e a Catedral da Sé.

A BiobotsTec, especializada em avatares digitais, é mais uma parceira que se junta à Upland nesta jornada paulistana.

As empresas já vêm atuando em conjunto desde o ano passado, mas agora a chegada de Sampa permitirá que avatares como NinaVerso (empresária e ativista Nina Silva), Satiko (Sabrina Sato) e DebyDry (Deborah Secco) tenham uma casa no metaverso e interajam com seus públicos por meio de venda de produtos e participação em eventos.

Até mesmo um show ao vivo da cantora Luiza Possi e de seu avatar Luz, no formato híbrido (presencial e no metaverso), deverá acontecer em breve.

Lil Pump

Quem também está anunciando novidades no metaverso é o rapper americano Lil Pump, de 22 anos, que fará o pré-lançamento de seu novo single Tesla no metaverso MetaEXP. O lançamento será realizado no servidor MetaSoul, às 21h.

Pump ganhou popularidade em 2017 com o single “Gucci Gang”, que alcançou a terceira posição na Billboard Hot 100 e recebeu certificado de platina cinco vezes pela Recording Industry Association of America (RIAA). O single foi destaque em seu álbum de estreia Lil Pump (2017), que alcançou a terceira posição na Billboard 200. Ainda participou da trilha sonora do filme Deadpool 2, com o single “Welcome to the Party”.

OKX

Já a OKX anunciou novidades como a APY de 8% em seu sistema de staking flexível com USDT. A empresa destaca que o retorno é um dos mais altos do mercado para USDT e que os interessados podem começar a investir a partir de 0,1 USDT um dos valores de entrada mais baixos entre as corretoras de criptomoedas. Os usuários que se inscreverem no serviço também podem ganhar um bônus de até 10%.

A OKX destacou também a publicação de sua quarta Prova de Reservas (PoR) mensal mostrando US$ 8,6 bilhões em BTC, ETH e USDT. Taxas de reserva OKX atuais: BTC: 104%, ETH: 104%, USDT: 102%

“Estamos orgulhosos de continuar a publicação mensal de nosso comprovante de reservas, de acordo com nosso compromisso inabalável com a transparência e a confiança aqui na OKX”, disse o diretor-gerente de mercados financeiros da OKX, Lennix Lai.

Bit2Me

A Bit2Me lançará em março o token do projeto Games For A Living (GFAL) através do seu serviço de Launchpad. A partir de 2 de março, os holders de B2M, o token nativo da Bit2Me, poderão inscrever-se na Whitelist da IEO de GFAL.

A próxima etapa da IEO do $GFAL acontecerá entre os dias 09 e 10 de março.

NFTs e blockchain

A solução conhecida como Authenticator, desenvolvida pela empresa de transformação digital Mobiup, usa colecionáveis digitais para facilitar a identificação de perfis falsos na
rede. Em um mês já são mais de 500 perfis verificados e a lista de espera para verificação conta com mais de mil perfis aguardando.

Dentre os perfis que mais buscaram pela solução, estão os criadores de conteúdo. Pessoas públicas e que geram influência sobre outras pessoas são os perfis preferidos dosgolpistas.

Já a Bywise anunciu a criação de uma rede de blockchain voltada ao mercado corporativo. A Bywise trabalha com o protocolo de consenso de Proof-of-Immutability (prova de imutabilidade). Por meio dele, cada transação realizada na Bywise gera uma prova criptográfica que atesta que as operações, de fato, aconteceram.

Após isso, essas provas são enviadas para as blockchains públicas.

“Muitas organizações estão tentando investir em plataformas baseada na tecnologia blockchain empresarial para aprimorar seu modelo de negócios e sair em vantagem da concorrência. Isso porque as blockchains públicas têm recursos, mas o ambiente aberto não é adequado para todos os tipos de empresas. Algumas precisam lidar com informações confidenciais e precisam de um canal seguro onde possam armazenar ou lidar com a documentação”, disse a empresa.

LEIA MAIS

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletem as posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar uma decisão.

Fonte

Related articles