BTC começa a semana em US$ 23.400 sem forças para grandes movimentos

A principal criptomoeda do mercado, o Bitcoin (BTC), está cotada na manhã desta segunda-feira, 27/02/203, em R$ 121.946,53. Com baixo volume de negociações no final de semana, os touros não conseguiram recuperar o valor do BTC que começa a semana em US$ 23.400, frustando os touros que tinham como meta um fechamento mensal perto de US$ 30 mil.

No entanto a perspectiva de longo prazo continua otimista e prova disso são os mineradores de Bitcoin que alocaram mais máquinas ao processamento da rede causando um recálculo na dificuldade de mineração, com uma alta de 9,95%.

Embora a dificuldade de mineração não influencie o preço diretamente, um aumento nela requer maior consumo de energia na mineração de um BTC e torna caro para os mineradores manter os lucros. A lucratividade do minerador é afetada pela dificuldade de mineração do BTC. 

Apesar do custo crescente da mineração de BTC , as mineradoras estão implantando capital mais alto e escalando as operações. A incerteza está associada à lucratividade, pois depende do preço do ativo; os mineradores demonstraram uma forte crença na eficiência operacional e na alta do preço do Bitcoin no futuro. 

Os mineradores estão otimistas com a recuperação do preço do Bitcoin . Apesar da recente retração no preço do Bitcoin, o ativo pode se recuperar de seu declínio atual. O preço do BTC atingiu a linha de tendência mais baixa e uma recuperação da queda recente pode levar o Bitcoin ao nível de US$ 23.594, que funcionou como resistência durante a segunda quinzena de janeiro de 2023. 

Se os touros do Bitcoin empurrarem o ativo para cima, a meta de curto prazo é de US$ 25.212, que foi a resistência ao longo de fevereiro de 2023.

Portanto, o preço do Bitcoin em 27 de fevereiro de 2023 é de R$ 121.946,53.

Sem forças para subir

Uma análise da bybit compartilhada com o Cointelegraph destacou que o BTC fechou a semana em baixa de 5%, tendo como um dos principais motivos a divulgação de novos dados sobre a economia americana, levantando expectativas de que o FED terá que aumentar as taxas de juros para esfriar a inflação. Taxas de juros mais altas dificultam a disponibilidade de dinheiro e o apetite ao risco.

Para esta semana a empresa afirma que não devemo ter um cenário muito diferente dos previstos nos últimos 15 dias e que não há ainda qualquer fato importante que possa gerar grandes movimentos, seja de alta ou de baixa no preço do Bitcoin.

A bybit destaca também que no campo macroeconômico temos uma piora nos dados da economia americana indicando que o fantasma da recessão pode estar longe, mas isso não significa que a inflação já está 100% sob controle, afastando os investidores dos ativos de ricos. Nos dados on-chain ainda observamos um baixo volume de negociações dos investidores de varejo e um sentimento ainda misto com o Crypto Fear & Greed Index marcado exatamente 50, índice que aponta para um sentimento neutro, bem condizente com o mercado atual.

“Olhando para o gráfico, o BTC atingiu a média móvel de 200 semanas e caiu abaixo da média móvel de 50 semanas. A queda destes níveis associada a um sentimento neutro de mercado e uma situação macroeconômica preocupante deve favorecer os ursos com grandes chances do BTC testar o suporte de US$ 21 mil na semana”, afirma.

No entanto, como o mercado de criptomoedas sempre guarda surpresas a empresa aponta que se os touros conseguirem imprimir um fechamento diário acima de US$ 25.100, eles abrem caminho para elevar o BTC para US$ 26 mil e US$ 27.500. O topo destes mini rali deve se estender até US$ 29.600.

“Portanto, os níveis a serem observados se mantém os da semana passada, US$ 22  mil e US$ 21 mil como suporte imediato e o nível psicológico de US$ 20 mil atuando como resistência forte que se perdido leva o TC para US$ 18 mil marcando o fundo no período. Já para os touros há a resistência de US$ 25 mil, seguida de US$ 26 mil e US$27 mil com top em US$ 29.600”, finaliza.

O que é Bitcoin?

O que é Bitcoin? O Bitcoin (BTC) é uma moeda digital, que é usada e distribuída eletronicamente. O Bitcoin é uma rede descentralizada peer-to-peer. Nenhuma pessoa ou instituição o controla.

O Bitcoin não pode ser impresso e a sua quantidade é muito limitada – somente 21 milhões de Bitcoins podem ser criados. O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador ou um grupo de programadores anônimo sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2009.

Houve muitos rumores sobre a identidade real do criador do BTC, entretanto, todas as pessoas mencionadas nesses rumores negaram publicamente ser Nakamoto.

O próprio Nakamoto afirmou ser um homem de 37 anos que vive no Japão. No entanto, por causa de seu inglês perfeito e seu software não ter sido desenvolvido em japonês, há dúvidas razoáveis sobre essas informações. Por volta da metade de 2010, Nakamoto foi fazer outras coisas e deixou o Bitcoin nas mãos de alguns membros proeminentes da comunidade BTC.

Para muitas pessoas, a principal vantagem do Bitcoin é sua independência de governos mundiais, bancos e corporações. Nenhuma autoridade pode interferir nas transações do BTC, impor taxas de transação ou tirar dinheiro das pessoas. Além disso, o movimento Bitcoin é extremamente transparente – cada transação única é armazenada em um grande ledger (livro-razão) público e distribuído, chamado Blockchain.

Essencialmente, como o Bitcoin não é controlado como uma organização, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. A rede Bitcoin compartilha de um ledger público chamado “corrente de blocos” (block – bloco, chain – corrente). Esse ledger contém todas as transações processadas. Os registros digitais das transações são combinados em “blocos”. 

Se alguém tentar mudar apenas uma letra ou número em um bloco de transações, também afetará todos os blocos que virão a seguir. Devido ao fato de ser um ledger público, um erro ou uma tentativa de fraude podem facilmente ser detectados e corrigidos por qualquer pessoa.

A carteira do usuário pode verificar a validade de cada transação. A autenticidade de cada transação é protegida por assinaturas digitais correspondentes às dos endereços de envio.

Devido ao processo de verificação e, dependendo da plataforma de negociação, pode levar alguns minutos para que uma transação BTC seja concluída. O protocolo Bitcoin foi projetado para que cada bloco leve cerca de 10 minutos para ser minerado.

LEIA MAIS

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletidas nas posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar uma decisão

Fonte

Related articles