Anatel começa pesquisa em Web 3.0 no Brasil

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou que iniciou um programa de pesquisa em Web 3.0 no Brasil, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG). A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) também apoia a iniciativa.

Apresentada em evento público nos últimos dias, a nova pesquisa deve direcionar alunos para pesquisas de blockchain, criptomoedas, NFTs, entre outros.

A iniciativa pode ajudar em pesquisas para envolver dispositivos inteligentes com redes descentralizadas e diversas soluções.

Vale lembrar que, como estudos revisados por pares, o Brasil pode avançar no setor com a produção de conhecimento científico envolvendo a chamada Web 3.0.

Anatel apoia pesquisas em Web3 no Brasil

De acordo com informações apuradas pelo Livecoins, um projeto de pesquisa de ambição nacional começou nos últimos dias, envolvendo novas tecnologias descentralizadas.

Related articles

Isso porque, a Universidade Federal de Goiás (UFG) assinou um Termo de Execução Descentralizada (TED) com o Centro de Altos Estudos em Telecomunicações (Ceatel), órgão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). As pesquisas serão conduzidas pelo Instituto de Informática da UFG.

Na solenidade de abertura da parceria, em Brasília (DF), participaram o presidente da Anatel, Carlos Baigorri e o presidente do Ceatel, e conselheiro da Agência, Alexandre Freire. Além disso, a reitora da Universidade Federal de Goiás, Angelita Pereira de Lima e o diretor do Instituto de Informática da UFG, Eliomar Araújo de Lima, estiveram presentes no evento.

Outro que pode acompanhar o lançamento da iniciativa foi o secretário de Estado de Desenvolvimento e Inovação de Goiás, Marcio César Pereira, assim como o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos Vieira.

Em nota, o vice-reitor da UFG, Jesiel Carvalho, destacou que a produção científica e tecnológica é importante para o Brasil.

“A finalidade primordial da Universidade é formar recursos humanos, mas para que se forme recursos humanos de forma adequada, à altura dos desafios da humanidade, nós precisamos ter dentro da instituição um ambiente sofisticado de produção intelectual, de produção científica e tecnológica. Desta forma, serão recursos humanos com uma capacidade muito grande de apoiar os processos de desenvolvimento do país.”

Pesquisa em um tema caro para o Brasil, diz conselheiro da Anatel

Outro a comentar sobre a nova pesquisa foi o presidente do Ceatel e conselheiro da Anatel, Alexandre Freire. De acordo com ele, a Web 3.0 é um tema caro para o Brasil hoje, que deve ter um melhor conhecimento de oportunidades e desafios para o setor público.

“São duas instituições altamente qualificadas e passarão agora a marchar de mãos juntas para o aperfeiçoamento de um tema caro, não apenas à Anatel, não apenas para a Universidade, mas para todo o país.”

A solenidade acabou transmitida pelo canal oficial da Anatel no YouTube, explicando em detalhes os objetivos do projeto.

Alguns professores da UFG apresentaram as linhas de pesquisa em Web 3.0, que envolvem tanto o setor jurídico, quanto tecnológico. Para os pesquisadores, a nova internet deve chegar após um processo, em que usuários demandarão produtos descentralizados.



Fonte