Primeira proposta de governança da Arbitrum gera polêmica com US$ 1 bilhão em jogo

Related articles

Uma proposta para financiar a Arbitrum Foundation com 750 milhões de tokens ARB – quase US$ 1 bilhão – gerou polêmica na comunidade ARB no fim de semana, quando a Fundação anunciou que estava apenas ratificando uma decisão que já havia sido tomada.

O conflito ocorre depois de alguns dias em que o protocolo da camada 2 lançou seu token de governança.

De acordo com a proposta AIP-1 na DAO da Arbitrum, os 750 milhões de tokens seriam usados para cobrir “Subsídios Especiais, reembolsando provedores de serviços aplicáveis […] e cobrindo custos administrativos e operacionais contínuos da Fundação Arbitrum”.

Entre os detentores de tokens, mais de 70% são contra a mudança no momento da redação.

Captura de tela: AIP-1: Arbitrum Improvement Proposal Framework. Fonte: Arbitrum DAO.

Depois de enfrentar a reação dos membros da comunidade, a Fundação disse em um post no fórum em 2 de abril que o AIP-1 era uma ratificação, não uma proposta. Ela também observou que parte dos tokens já foram vendidos para stablecoins. Em outras palavras, seu orçamento e alocações bilionários não estariam sujeitos a um processo de governança on-chain.

A Fundação Arbitrum afirma que a primeira tentativa de governança do token falhou devido a problemas de comunicação e decisões que “claramente não foram articuladas corretamente”:

“Um dos erros na redação do AIP-1 foi não observar desde o início que esta proposta pretendia funcionar como uma ratificação da configuração inicial da Arbitrum DAO e da Fundação que foi criada para servir à DAO . […] o objetivo do AIP-1 era informar a comunidade de todas as decisões que foram tomadas com antecedência.”

Comentando sobre o fórum de governança, os membros da comunidade apontaram que a equipe da Arbitrum “tem descartado tokens que foram inicialmente informados à comunidade como tokens bloqueados”, alegando que “todas as páginas de tokenonomics mostram apenas tokens de airdrop do usuário + DAO como desbloqueados” com restantes “tokens para desbloquear em março de 2024.”

A fundação Arbitrum fez uma proposta (AIP-1) para alocar 750 milhões de tokens ARB para custos administrativos e operacionais, mas os detentores de $ARB votaram contra.

Agora eles disseram que a votação era apenas uma formalidade e já gastaram 50,5 milhões (6,7%) dos 750 milhões de $ARB propostos

Seu voto não é voto pic.twitter.com/lvhBbBesum

— Eden Au (@0xedenau) 2 de abril de 2023

Outros destacaram que, de acordo com as leis de valores mobiliários dos Estados Unidos, a venda antecipada seria considerada fraude e que os cidadãos americanos que compraram tokens ARB ou reivindicaram o airdrop “são elegíveis para recursos legais”.

“Estarei investigando isso com meus advogados e espero abrir um processo por fraude de valores mobiliários nos próximos dias. […] Imediatamente, a Arbitrum Foundation é aconselhada a interromper todas as vendas ilegais do token que estão sendo feitas sem qualquer autorização e contra as disposições da lei”, disse um membro da comunidade.

A blockchain da Arbitrum detém 65% da participação de mercado da camada 2 da Ethereum, mostra dados do site de análise da camada 2 L2Beat. O tão esperado lançamento e airdrop de seu token de governança nativa ocorreu em 23 de março, com centenas de milhares de usuários qualificados e DAOs reivindicando ARBs. A demanda esmagadora do usuário levou a página de reivindicação do airdrop a travar logo após seu lançamento, informou o Cointelegraph.

VEJA MAIS:



Fonte